sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Covid-19: Rio de Janeiro proíbe todas as celebrações do Carnaval

 

As penas para quem desobedecer ao decreto do governo carioca são de até um ano de reclusão.

© Lusa


A cidade do Rio de Janeiro, município com mais mortes provocadas pela covid-19 no Brasil, proibiu hoje todas as celebrações e as vendas de produtos nas ruas durante o período de Carnaval, sob pena de um ano de prisão.

O Rio de Janeiro já havia cancelado os desfiles das escolas de samba, um dos maiores espetáculos do planeta.

O Carnaval, que acontece em fevereiro ou março, também reúne milhões de pessoas nas ruas da cidade em blocos, que agora estão proibidos.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assinou um decreto que proíbe entre 12 e 22 de fevereiro, "os encontros e desfiles dos blocos carnavalescos" e "qualquer atividade recreativa semelhante".

As penas para quem desobedecer ao decreto do governo carioca são de até um ano de reclusão. Além disso, instrumentos musicais e veículos podem ser apreendidos.

As festas de Carnaval representam um pesadelo para os epidemiologistas, pois tradicionalmente reúnem multidões enormes sem qualquer distanciamento social.

Com este decreto, o prefeito quer evitar qualquer comemoração.

Em setembro de 2020, as escolas de samba, que organizam o desfile no sambódromo, decidiram adiá-lo para julho por causa da pandemia, com foco principalmente no desenvolvimento de uma vacina.

O prefeito do Rio de Janeiro anunciou no final de janeiro, quando a campanha nacional de vacinação havia acabado de começar, que a cidade desistia de organizar o Carnaval fora de época neste ano devido à segunda onda da pandemia de covid-19.

Com 6,7 milhões de habitantes, a cidade do Rio de Janeiro registrou 17.535 mortes por covid-19, já superando a de São Paulo (17.523), que tem uma população duas vezes maior, segundo dados do Ministério da Saúde.

O estado do Rio de Janeiro, com 16,5 milhões de habitantes, também é o segundo mais afetado em termos relativos, depois do Amazonas.

O Brasil é um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar 228.795 mortos e mais de 9,3 milhões de casos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.285.334 mortos resultantes de mais de 104,8 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo