terça-feira, 13 de julho de 2021

Hospitais dia passam a funcionar 24 horas para realizar exames e cirurgias em SP

 

Atualmente 56.794 pessoas aguardam por uma vaga para realização de procedimentos cirúrgicos

© REUTERS/Ricardo Moraes


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta terça-feira (13) uma estratégia para tentar reduzir a crescente fila de cirurgias de baixa e média complexidade e de exames com a retomada do atendimento em 13 dos 16 hospitais dia. Essas unidades estavam trabalhando exclusivamente para receber pacientes acometidos pelo novo coronavírus.

Segundo a prefeitura, atualmente 56.794 pessoas aguardam por uma vaga para realização de procedimentos cirúrgicos e outras 8.899 para serem submetidos aos dois tipos de exames com maior procura: colonoscopia e endoscopia digestiva alta.

Entre março do ano passado e junho deste ano a fila aumentou, em média, 9.390 pacientes por mês. A maior demanda registrada em junho é para cirurgia geral, com 21.748 pacientes em espera, seguida por procedimentos ginecológicos (11.457,) e pequenas cirurgias, com 10.156. Os exames de colonoscopia, com 3.780 pessoas aguardando, e endoscopia digestiva alta, com fila de espera de 5.119 pacientes, completam o quadro de maiores represamentos causados pelo impacto da Covid-19 na rede de saúde da capital.

Dos 16 Hospitais Dia espalhados pelo município, três deles localizados nas regiões de Lapa/Pinheiros; M'Boi Mirim e Capela do Socorro ainda continuam destinados para atender pacientes com Covid-19. Entre os outros 13 restantes, Vila Maria/Vila Guilherme; São Miguel; Butantã; Ipiranga; e Santo Amaro/Cidade Ademar irão funcionar 24 horas por dia. Já São Mateus; Itaim Paulista; Freguesia do Ó/Brasilândia; Mooca/Aricanduva; Penha; Vila Prudente/Sapopemba; Campo Limpo; e M'Boi Mirim das 7h às 22h. Todos iniciam as avaliações clínicas, exames laboratoriais e validações cirúrgicas já a partir desta quarta-feira (14).

"Nós tínhamos, quando iniciou a pandemia, em março de 2020, uma fila de 71.407 pessoas [aguardando por procedimentos]. Por orientação do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual da Saúde, nós fizemos a suspensão das cirurgias eletivas nesse período. Depois, São Paulo, em função da queda dos números da pandemia em novembro e dezembro, retomou o processo de eletivas e a gente não mais parou, para que a gente conseguisse fazer o procedimento de cirurgias daqueles 10 mil pacientes que entravam novos a cada mês na fila", disse o secretário municipal de Saúde Edson Aparecido durante visita ao Hospital Dia São Miguel, juntamente com o prefeito Ricardo Nunes (MDB).

Segundo Aparecido, a pressão maior atualmente na rede por atendimento é de pessoas que não foram acometidas pelo novo coronavírus. "Hoje, a pressão do atendimento das pessoas que não tem Covid-19 é maior do que das pessoas que precisam ser internadas por conta da Covid-19. Por isso, inclusive, estamos conseguindo transformar 250 leitos, que a gente abriu, parte deles, importante frisar, dentro dos hospitais dia, incorporados nesse programa de cirurgias que temos aqui agora", disse Aparecido.

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo