segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Carros autônomos podem deixar trânsito ainda pior, sugere pesquisa.

Uma pesquisa publicada pela University of Leeds, University of Washington e pelo Oak Ridge National Laboratory mostrou que o impacto dos carros autônomos poderá ocasionar no aumento do congestionamento nas vias nas próximas décadas.
(Foto: Divulgação)
O estudo deixa claro que os carros do futuro trarão diversos benefícios, tais como redução de energia e também a condução mais segura. No entanto, os pesquisadores estimam que os benefícios também podem ter um lado negativo, principalmente se os carros começarem a serem usados para outras funções além da locomoção.
Segundo eles, com a evolução do conforto dos carros e a extinção da necessidade de motoristas, os passageiros poderão sentir-se mais à vontade para fazer viagens mais longas. Assim, a possiblidade de morar mais afastado do local de trabalho seria menos incomoda já que os veículos seriam um ambiente mais favorável para relaxar ou até mesmo trabalhar.
Além disso, os veículos poderão ser acessíveis para pessoas que não dirigem por opção ou porque não podem. Assim, ao invés de se deslocarem utilizando trens, ônibus e outras formas de transporte público, esse grupo de pessoas poderia comprar novos carros e, com isso, aumentar a quantidade de automóveis nas ruas e avenidas.

Via Gizmodo 

Google revela lançador de balões de internet.

O Google está impulsionando o Project Loon, que pretende disponibilizar internet em áreas remotas, e, agora, apresentou como faz para lançar seus balões. Para a surpresa se alguns, a empresa utiliza lançadores automáticos móveis, que são capazes de colocar os balões no ar em meia hora.
(Foto: Project Loon)
O sistema conta com guindastes de 15 metros de altura, que posicionam os equipamentos, enchem os balões e os soltam no ar, permitindo o início das operações. Confira abaixo algumas imagens do processo.


Os laçadores podem ser montados em diferentes áreas, uma vez que são móveis, e permitem ajustar o processo conforme a corrente de ar. O Google pretende aumentar os testes com o Project Loon ainda neste ano.


Via Google.

3 dicas para usar o novo like do Facebook.

O Facebook Reactions, o "novo botão curtir" da rede social, foi liberado a todos os usuários na última quarta-feira, 24, e, aos poucos, chega a todos os usuários nas plataformas desktop e mobile. 
O recurso, que começou como uma resposta do Facebook ao botão "dislike", acabou tomando um outro rumo e tem como objetivo permitir ao usuário demonstrar suas emoções em relação a determinados temas. 
Apesar de ser simples, o recurso pode deixar algumas pessoas confusas na hora da utilização. Listamos aqui 3 dicas para facilitar a vida de quem está em dúvidas e garantir o melhor aproveitamento da novidade. Confira:

1. Como funciona?

O Reactions conta com 6 opções: 'amei', 'haha', 'uau', 'triste' e 'grrr', além da tradicional curtida. No computador, eles aparecem quando o mouse fica alguns segundos em cima da opção 'Curtir', enquanto no smartphone é preciso pressionar o botão para exibí-los.

Como o nome e o ícone mostram, cada um dos emoticons faz menção a um tipo de reação: 'amei', para quando o usuário realmente gostar de uma publicação, 'haha', para algo engraçado compartilhado na rede social, 'uau', para itens supreendentes, 'triste', para se fazer presente em algum post não tão feliz e 'grrr', para quando o usuário estiver indignado ou com raiva de algo.

2. Como as reações são exibidas?


Ao visualizar um post, é possível identificar quais foram as reações geradas por ele e visualizar separadamente cada uma das opções. Ao lado direito aparece o total de 'reações'. Se preferir, o usuário pode passar o mouse em cima do número para ter uma ideia geral de quem reagiu à mensagem, link, vídeo ou foto compartilhado.

É importante lembrar que o algoritmo continua funcionando da mesma maneira: assim, quem reage negativamente a algum post tem grandes chances de receber notícias negativas em sua linha do tempo.

3. Preste atenção


Fique atento: não se esqueça de que você não é o único a ver o tipo de reação que escolheu. Outras pessoas também verão as suas reações, então é bom tomar cuidado na hora de 'amar' fotos ou ficar 'triste' com o anúncio de relacionamento sério de alguém.

Mão robótica tem precisão de humana; próximo passo é fazer crescer tendões.

Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, estão tentando encontrar uma maneira de criar tendões humanos em uma mão robótica. De acordo com os pesquisadores, caso seja possível fazer crescer os tecidos em estruturas artificiais, pessoas que perderam as mãos podem ser capazes de contar com uma nova, em pele humana. 
(Foto: Reprodução)

"Estamos muito otimistas sobre este conceito e estamos ansiosos para fazer isso acontecer o mais rápido possível", explica Zhe Xu, um dos participantes da pesquisa. 


A mão desenvolvida por eles é extremamente precisa e possui a mesma destreza do que a mão humana. Para a criação, os cientistas usaram uma mão humana escaneada via laser e, em seguida, imprimiram os ossos artificiais em 3D. Os ligamentos são feitos de uma corda resistente e duradoura, chamada Spectra, além de tiras de borracha. 
A mão possui capacidade, por exemplo, de capturar objetos como CDs e rolos de fita.
De acordo com Xu, a mão pode ser utilizada também por astronautas, para que consertem partes das naves sem que eles tenham que se deslocar para lá.





Via BusinessInsider

"Mortal Kombat X" irá receber DLC com conteúdo gratuito em março.

Apesar de ser conhecido com um game repleto de DLCs pagas, “Mortal Kombat X” agora irá receber um pacote com conteúdo adicional inteiramente grátis em março. A nova DLC presenteará os jogadores com roupas no estilo medieval para três personagens do game: Kung Jin, Ferra e Kotal Khan.
(Foto: Divulgação)
O pacote será disponibilizado para os jogadores de Playstation 4 e Xbox One. Os players de PC não irão receber a novidade.

O conteúdo estará disponível para download no dia 1º de março.

Fonte...Olhar Digital

Veja como o novo top de linha da Xiaomi é por dentro.

O Mi 5, novo top de linha da Xiaomi, mal foi anunciado e já está sendo demontado para ter seu hardware examinado. O site chinêsit168 realizou um desmonte da versão de cerâmica do aparelho, que revelou uma organização bastante impressionante de seus componentes internos.
Assim como outros smartphones top de linha, o Mi 5 é composto por uma peça única em sua parte externa. Isso significa que, para acessar seu hardware, é necessário o uso de uma ventosa:
Uma vez removida a parte traseira, é necessário ainda desmontar duas partes dos componentes que ficam presas com parafusos por cima das placas lógicas e da bateria. Os parafusos contém adesivos que precisam ser removidos antes de que eles possam ser retirados. Isso, no entanto, deixa evidente que o aparelho já foi desmontado, e invalida sua garantia.
A parte superior que pode ser removida contém o chip NFC do aparelho. Uma vez que ela e a parte inferior são removidas, a bateria de 3000 mAh do aparelho pode então ser facilmente removida e substituída. O dispositivo fica assim:
A placa lógica superior do dispositivo contém o processador Snapdragon 820, os 4GB de RAM e os 128GB de armazenamento. Ela é recoberta por gel térmico, que é a única medida de prevenção de aquecimento encontrada no aparelho. Isso indica que o Snapdragon 820 deve ter sido planejado com mais cuidado nesse aspecto que o 810, que gerou várias queixas sobre seu aquecimento excessivo.

Ainda não parte superior, também podem ser encontrados os dois sensores das câmeras traseira e frontal do aparelho. Na imagem abaixo, o sensor Sony IMX298 de 16MP com estabilização de imagem de 4 eixos da câmera traseira é o da esquerda; o da direita é o sensor Ultrapixel de 4MP da câmera frontal:


Na placa lógica inferior, por sua vez, é possível encontrar a interface USB-C do aparelho (na primeira imagem a seguir) e o botão Home, junto com sensor de impressões digitais (na segunda):



De acordo com o Android Headlines, embora oo site chinês não atribua notas à "reparabilidade" do dispositivo (como o iFixit faz, por exemplo), o Mi 5 provavelmente teria se saído bem nesse quesito. Isso porque ele é relativamente fácil de se desmontar, não utiliza parafusos incomuns e sua bateria pode ser acessada de maneira relativamente fácil.


Fonte..Olhar Digital

Apple usa truque para evitar confusões em site.

Além de famosa por seus produtos, a Apple também é conhecida por ser uma empresa que presta bastante atenção aos detalhes. Pensando nisso, a empresa criou um "truque" para evitar que uma de suas páginas pudesse ser intepretada errado.
(Foto: Flickr)

No código HTML do site El Capitan, a empresa adicionou um espaço extra à palavra 'click', de seu slogan, "There's more to love with every click", para evitar que as pessoas confundam a palavra com "dick" (sinônimo para pênis).


Apple wrapped a span around the word “click” to apply more generous letter spacing, so it doesn’t look like “dick.”pic.twitter.com/oiVj3KV5xJ



O truque foi descoberto pelo desenvolvedor Dan Leech‎, que postou o que encontrou no Twitter. A Apple usou uma tag de "extensão" antes e depois da palavra 'click', o que adiciona um certo espaço às palavras. Aos olhos destreinados, a adição passa despercebida.

Companhia aérea quer usar tecnologia 3D para imprimir partes do avião.

A construção de uma aeronave comercial exige a participação de diversas empresas, já que além da estrutura, há milhares de peças que compõe as áreas de cabine interior, que variam de uma companhia aérea para outra.
Air New Zealand


No entanto, com a crescente popularidade da impressão 3D, as companhias aéreas estão percebendo que elas mesmas podem começar a produzir seus componentes, economizando tempo, custo e até mesmo peso.
O primeiro a perceber isso (pelo menos publicamente) é Air New Zealand. A empresa anunciou que, em parceria da Universidade de Tecnologia de Auckland, irá começar a experimentar a tecnologia 3D em seus próprios componentes, sem precisar de fornecedores. O primeiro teste será com as bandejas dobráveis da classe executiva.
Atualmente, a empresa mantém um estoque para substituição de peças, o que demanda espaço e dinheiro. Além disso, existe a questão de que é necessário ter várias partes específicas em pontos estratégicos do mundo caso seja necessário o uso
Com a impressão 3D, basta uma impressora, matéria-prima (que no caso é o plástico), e o design da peça. A Air New Zealand poderia ter lotes de impressoras e materiais prontos para uso nos principais aeroportos.
A tecnologia também tem outra vantagem: a fácil experimentação. A empresa pode tentar novos projetos para as cabines sem precisar gastar muito dinheiro.
Via Geek

Google, Microsoft e Facebook vão à Justiça defender Apple em disputa com o FBI.

A Apple está preste a ganhar apoio jurídico na disputa com o FBI que se arrasta há semanas nos EUA. Outros gigantes da tecnologia, como Google, Facebook, Twitter e a Microsoft, estão preparando ações individuais e conjuntas na Justiça americana para oficializar seu apoio à criadora do iPhone.

(Foto: Reprodução)
No linguajar da Justiça dos EUA, as empresas devem apresentar um "amicus": moção oferecida por testemunhas voluntárias em um caso, mesmo que não tenham sido convocadas ao tribunal. Brad Smith, vice-presidente da Microsoft, chegou a oficializar seu apoio diante do Congresso americano na última quinta-feira, 25.
Ainda não se sabe quando essas empresas se apresentarão oficialmente à Justiça, mas a Microsoft prometeu uma ação para "a próxima semana". A gigante do varejo online Amazon também pode estar se alinhando, ao lado de outras empresas menores de tecnologia, para entrar na linha de defesa da Apple. Cabe ao juiz do caso, porém, levar esse apoio em consideração ou ignorá-lo.
Entenda o caso
Em 2 de dezembro do ano passado, 14 pessoas foram mortas e outras 22 feridas na cidade californiana de San Bernardino em um atentado terrorista. Recentemente, a juíza federal norte-americana Sheri Pym ordenou que a Apple colaborasse com o FBI e desbloqueasse um iPhone 5c que era usado por um dos autores do homicídio em massa. Logo descobriu-se que os investigadores queriam, na verdade, uma "chave-mestra" para acessar mais de dez aparelhos.
A Apple, por sua vez, recusou a ordem judicial alegando que “trata-se de uma medida sem precedentes” e que considera “uma ameaça à segurança de seus usuários”. Para a empresa, abrir uma "porta dos fundos" no sistema do iPhone para o governo é um convite para cibercriminosos e até espiões internacionais. Para conhecer melhor os argumentos de cada lado, clique aqui.
Via Mashable

App da Netflix para iPhone terá recursos para 3D Touch.

(Foto: Reprodução)
A Netflix lançou  uma atualização para iOS que permite maior funcionalidade no iPhone através de recursos dedicados à função 3D Touch, além de vir com um layout otimizado para o iPad Pro.

Agora, os usuários terão o recurso ‘experiência pós-play’, que vai oferecer recomendações personalizadas aos usuários sobre filmes, séries e programas de TV. Além disso, o mesmo recurso poderá reproduzir o episódio seguinte. 

O suporte ao 3D Touch vai permitir que os usuários acessem facilmente as informações adicionais sobre filmes e séries enquanto eles navegam pelo catálogo. Também será possível adicionar ou remover títulos com um toque mais pesado.

 Mesmo sem muitas alterações no design, os usuários de iPad Pro ganharão um layout dedicado ao dispositivo, além de uma resolução correta do app. A versão mais recente para iOS já está disponível na App Store. Os usuários do Android também devem receber uma atualização em breve.


Via TNW

12 serviços do Google que você talvez não conheça.


Nesta semana, o Google encerrou uma ferramenta de comparação de preços de seguros de carro e hipotecas, que funcionava nos Estados Unidos e no Reino Unido. O serviço, assim como muitos outros, era desconhecido de grande parte dos usuários do site de buscas. 

Listamos outros 12 serviços úteis da empresa que você pode não conhecer. Confira:

1. Google Keep
Google Keep funciona como um bloco de notas e uma lista de afazeres, oferecendo ao usuários pequenos lembretes. O aplicativo funciona em desktops e dispositivos móveis e permite integrar as anotações ao calendário do Google.

2. Explore o espaço
O site Google.com/sky permite explorar o espaço através de imagens de satélite da NASA e do telescópio Hubble. 

3. Google nGrams
Google nGrams permite pesquisar palavras específicas em 5,2 milhões de livros publicados entre 1500 e 2008, para analisar como sua utilização mudou ao longo do tempo. Saiba mais aqui.

4. Pronuncie números gigantes em inglês 
Digite um número grande e em seguida '=english'. O Google mostrará como se lê o valor.
5. Fontes
Google.com/fonts oferece gratuitamente uma série de fontes diferentes.

6. Pesquisas acadêmicas
O Google Acadêmico (scholar.google.com.br) oferece informações acadêmicas e profissionais sobre qualquer tema. Uma boa dica na hora de procurar fontes para um trabalho. 

7. Arte
Google Cultural Institute oferece fotos em alta resolução de grandes obras de arte de museus de todo o mundo. Veja de perto seus quadros favoritos.

9. Think with Google
O Think with Google é uma ferramenta voltada para empresários e comerciantes que oferece dicas de negócios para os usuários. Saiba mais aqui.

10. Tendências
Google Trends mostra os itens mais pesquisados de um período. É possível buscar por país, categoria ou escolher tópicos específicos.

11. Panoramio
Google Panoramio mistura o Google Maps com fotos pessoais, permitindo que os usuários identifiquem no mapa mais detalhes sobre os locais onde elas foram feitas.

12. Construir com o Chrome
Construir com o Chrome é uma parceria do Google com a Lego que permite criar uma série de estruturas virtuais semelhantes às criadas com os blocos que se encaixam.

Via BusinessInsider

Samsung perde espaço, mas domina quase 40% do mercado de smartphones no Brasil.

A Samsung lidera o mercado de smartphones no Brasil. A sul-coreana respondeu por 38,2% das vendas de telefones inteligentes no país em 2015, segundo um levantamento realizado pela consultoria Gartner a pedido do Olhar Digital.
O segundo lugar do ranking é ocupado pela Lenovo, com 19% de participação – vale lembrar que a empresa adquiriru a Motorola há um ano, garantindo o terceiro lugar entre as maiores fabricantes de smartphones do mundo –, seguida pela LG (13,6%) e pela BLU Products (9,4%). A Apple, grande concorrente mundial da Samsung, detém somente 4,5% do mercado brasileiro. As outras empresas do setor representam os 15,3% restantes.
(Foto: Reprodução)

Mesmo sendo líder do mercado, a Samsung não tem muito o que comemorar. A participação da empresa no setor vem caindo nos últimos anos: em 2014, seu market share era de 41,8%, enquanto que em 2013, a empresa concentrou 52,2% das vendas no país.

Confira:

Vendas em 2015
Samsung - 38,2%
Lenovo (controladora da Motorola) - 19%
LG Eletronics - 13,6%
BLU Products - 9,4%
Apple - 4,5%
Outros - 15,3%

Vendas em 2014
Samsung - 41,8%
LG Eletronics - 19,2%
Motorola - 8,7%
Apple - 6,1%
Outros - 20,6%

Vendas em 2013
Samsung - 52,2%
LG Eletronics - 18,2%
Apple - 6,2%
Motorola - 6,1%
ZTE - 4,6%
Outros - 15,3% 
O Android, claro, segue sendo o sistema operacional mais usado no Brasil. O relatório Smartphone Market in Brazil 2015-2019 da Technavio mostra que, em 2015, 77,8% dos aparelhos rodavam o sistema do Google. Outros 13,9% eram baseados em iOS, 3,4% em Windows Phone e os demais 4,9% em outros sistemas operacionais. 
Dados da Cisco revelam que, no ano passado, havia 170,7 milhões de usuários móveis no Brasil, o que representa 82% da população do país – um aumento de 2% comparado aos 166,6 milhões em 2014. O número de smartphones no período cresceu 23%.
Mercado
Apesar do número expressivo de aparelhos, o mercado apresentou queda de vendas no ano passado. De julho a setembro de 2015, aproximadamente 10.753 milhões de celulares inteligentes foram vendidos, 25,5% a menos na comparação com o mesmo período de 2014, segundo a IDC.
Somando com a categoria de "feature phones", os modelos básicos sem acesso à internet, foram cerca de 11.710 milhões de aparelhos comercializados, 35% a menos do que no terceiro trimestre de do ano anterior.

GVT vai deixar de existir.

A partir do dia 15 de abril a GVT não irá mais oferecer seus serviços para clientes de todo o Brasil. A empresa enviou um comunicado aos clientes afirmando que os serviços serão unificados com a Vivo.
A mudança estava sendo trabalhada desde o mês de maio do ano passado e tornou-se possível com a aquisição da Vivo pela Telefônica que deu-lhe mais recursos para efetuar a transação. Em dezembro de 2014, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já havia aprovado a compra da GVT pela Telefônica e agora o acordo finalmente foi selado.
(Foto: sxc.hu)
A companhia aproveitou para informar também que o atendimento telefônico e os aplicativos e serviços prestados sofrerão mudanças após a unificação. O telefone de suporte terá um novo número (10315) assim como o código de longa distância que passará a ser o “15” e não mais o “25”. O site também será acoplado ao da companhia de telefone, televisão e internet a partir do dia 2 de abril.
Já os pacotes contratados por clientes antes da parceria ser firmada permanecerão inalterados já que a Vivo afirmou que irá honrar os contratos firmados pela empresa comprada. Apenas alguns nomes serão modificados, como o “GVT Freedom”, o “GVT Protege” e o “Minha GVT” para “Vivo Freedom”, “Vivo Protege” e “Meu Vivo Fixo” respectivamente.
Os clientes da GVT também terão a oportunidade de usufruir de novos serviços oferecidos pela empresa de telefonia, como o Vivo Valoriza, programa de fidelidade que dá descontos em cinemas, contratação de serviços e compra de aparelhos. 

Economize energia com a Eco-Laje.

No momento de crise energética atual, e para você que esta preste a colocar laje em sua casa fica a dica!





Ponte sustentável tem turbinas eólicas e painéis solares.

Uma equipe italiana de arquitetos criou um novo conceito de ponte que agrega geradores de energia eólica e solar em seu design.
O conceito batizado de Solar Wind usa o espaço existente no vão de uma ponte no sul da Itália para instalar 26 turbinas de vento, o que poderia gerar 36 milhões de kWh anualmente.
Sobre a ponte, painéis solares no lugar do asfalto ficariam responsáveis por gerar 11 milhões de kWh por ano, segundo os designers.
O asfalto seria substituído por painéis de captação solar, já em uso nos EUA, que serve como estrada. Todo o sistema seria capaz de produzir energia suficiente para fornecer eletricidade para cerca de 15 mil famílias anualmente.
O projeto foi criado para um concurso que busca reaproveitar as estruturas de uma velha ponte perto de Calábria, no sul da Itália. A demolição da ponte custaria US$ 55 milhões aos cofres públicos, então o governo decidiu criar um concurso para reutilizar a estrutura de uma maneira sustentável.

A ideia do Solar Wind, que transforma a ponte em um grande parque, com espaços para que os carros estacionem para admirar a vista da costa italiana, ficou em segundo lugar.
Superfície da ponte teria painéis solares e área para parques e mirantes.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

"Street Fighter V" não empolga e tem vendas fracas.

Lançado na última semana de forma oficial, o jogo “Street Fighter V” não está conseguindo bons números nas vendas. De acordo com alguns medidores, o jogo ainda não conseguiu empolgar e vendeu menos até do que a quarta versão da saga lançada para Playstation 3, em 2008.
Street fighter V Ken
Mesmo após ter estreado na segunda posição no Reino Unido, a empresa Famitsu informou que o game vendeu apenas cerca de 46 mil cópias para Playstation 4 contra 84 mil da versão anterior durante o mesmo período de tempo.
A história também se repete na Steam. A companhia contabilizou pouco mais de 106 mil unidades vendidas segundo dados da SteamSpy. Apesar do número mais do que o dobro do console japonês, ele ainda é muito inferior aos 516 mil downlods de “Rise of the Tomb Raider”.
Vale destacar que o game está sendo alvo de críticas pela falta de estabilidade durante as batalhas online e também pela falta da modalidade Arcade que a Capcom já afirmou que pensa em inserir nas próximas atualizações do título e que poderia adicionar mais emoção para quem prefere jogar em modo single player. 

Via GameHall

Cirurgia implanta vértebras impressas em 3D pela primeira vez.

O cirurgião australiano Ralph Mobbs realizou com sucesso, pela primeira vez na história, uma cirurgia que substituiu duas vértebras de um paciente por uma peça impressa em 3D. A operação de risco elevado durou mais de 15 horas, segundo a rede australiana de televisão ABC.
(Foto: reprodução)

O paciente em questão, Drage Josevski, tinha um tumor chamado de cordoma nas duas primeiras vértebras de sua coluna dorsal - a parte superior da coluna, logo abaixo do cérebro. Caso não fosse removido, o tumor continuaria a comprimir as vértebras, deixaria Josevski paraplégico e, em seguida, causaria sua morte. "É uma maneira particularmente horrível de partir", disse o cirurgião.

Cirurgia

O procedimento cirúrgico envolveu a remoção das duas vértebras cancerígenas do topo da coluna de Josevski e sua substituição pela peça impressa em 3D. A operação durou mais de 15 horas, e foi extremamente arriscada porque, segundo Moobs, consistiu basicamente em "retirar a cabeça do paciente do pescoço, remover o tumor, e então encaixar de novo a cabeça no lugar".

Além disso, a região próxima ao local da operação tem uma série de veias que alimentam o cérebro de sangue, o que exigia enorme precisão dos envolvidos. Os médicos chegaram até a região do tumor através da boca do paciente, o que fez com que, durante o período pós-operatório, ele tivesse dificuldades para comer e falar.

Embora a operação tenha sido realizada no final de dezembro de 2015, a confirmação de seu sucesso só pode ser feita recentemente. Apesar das complicações resultantes do procedimento, o tumor de Josevski foi completamente removido, e ele deve se recuperar totalmente.

Vértebra de titânio

Para criar a peça que substituiria as vértebras de Josevski, Mobbs trabalhou com uam empresa chamada Anatomics para criar réplicas exatas em titânio das vértebras do paciente. Ela foi feita com base em modelos e imagens dos ossos de Josevski e, segundo Mobbs, se encaixou perfeitamente durante o procedimento.

Apesar do sucesso da cirurgia, Mobbs acredita que os implantes ainda podem ser melhorados. Segundo o Mashable, o cirurgião acredita que o próximo passo será colher células do corpo do paciente e espalhá-las por uma estrutura impressa em 3D, para que elas mesmas formem a maior parte do material.

Futuro

Mobbs acredita que o uso de impressão 3D na medicina deve crescer "exponencialmente" no futuro próximo. Isso porque a técnica pode ser usada para "ossos, ligações e órgãos sob medida para recuperar funções e salvar vidas". Para ele, a possibilidade de se imprimir um pâncreas novo para um paciente, por exemplo, é algo que deve acontecer "ainda durante nossas vidas".

Via...Olhar Digital

Conheça a ideia de Bill Gates para acabar com a dengue e o Zika virus.

A Fundação de Bill Gates está negociando com governos latino-americanos e cientistas sobre a possibilidade de espalhar centenas de mosquitos que seriam incapazes de transmitir a dengue e o Zika. 

A ideia da organização é "liberar" mosquitos infectados com a bactéria Wolbachia pipientis, que os impede de transmitir algum vírus quando picam as pessoas. A nova raça de mosquitos foi criada por cientistas da Universidade de Monash, na Austrália. A novidade foi testada como parte de um programa de US$ 40 milhões para erradicar a doença na Indonésia, Austrália, Vietnã e Rio de Janeiro.
(Foto: Reprodução)
"A pesquisa, em fase inicial, tem rendido resultados muito promissores". No entanto, não podemos dizer com certeza que ela é eficaz", explica Fil Randazzo, vice-diretor da Fundação Bill & Melinda Gates, em Seattle, nos Estados Unidos.

De acordo com os cientistas, a tecnologia proposta por gates é eficaz e barata. "É mais econômico do que os inseticidadas. As coisas parecem favoráveis", explica Ivan Dario Velez Bernal, diretor do programa de doenças tropicais na Universidade de Antioquia, em Medellín, na Colômbia.

A bactéria
A Wolbachia é encontrada em cerca de 50% dos insetos do mundo e interrompe a propagação de alguns vírus. O Aedes aegypti , responsável pela propagação da dengue, não possui a bactéria naturalmente. Os pesquisadores, então injetaram as bactérias, captadas de moscas de fruta, em embriões de mosquitos. "Nós não temos que continuar injetando-a. depois disso ela é herdada", explica Scott O'Neill, especialista em insetos da Universidade Monash, que lidera o programa de combate à dengue de Gates. 

Segundo ele, o custo de implementação do projeto é de US$ 1 por pessoa, bem menos do que os US$ 7 estimados na produção de mosquistos transgênicos.

Em testes na Austrália realizados por um ano, a transmissão local da dengue foi interrompida completamente.

Via TechnologyReview 
Topo