terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Após negar ciberataque no Sisu, MEC encaminha dados à Polícia Federal

Em nota, o Ministério da Educação declarou que os sistemas "não registraram, até o momento, indício de acesso indevido"

© Pixabay
O ministério da Educação (MEC) declarou, nesta terça-feira (31), que não houve "até o momento, indício de acesso indevido a informações de estudantes cadastrados, que configure incidente de segurança" no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Candidatos da primeira edição de 2017 do processo reclamam que rackers invadiram suas contas e alteraram a escolha do curso superior.

Entre os candidatos que foram vítimas do ciberataque está a estudante Tereza Gayoso, que ficou conhecida por ter tirado a nota máxima na redação do Enem. Nesta terça-feira (31), a candidata notou foi inscrita contra a sua vontade no curso de 'Produção de Cachaça', do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais.
Após as denúncias, o MEC negou que existam indícios que apontem para o ciberataque. No entanto, declarou em nota que "os dados serão encaminhados para a Polícia Federal".
Leia a íntegra da nota do MEC, divulgada no G1:
Sobre suposto hackeamento dos sistemas do Sisu e Enem o MEC/Inep esclarecem:
1- Os sistemas do MEC e do Inep não registraram, até o momento, indício de acesso indevido a informações de estudantes cadastrados, que configure incidente de segurança.
2- Há relatos na imprensa de casos pontuais de acesso indevido a dados pessoais de candidatos, que teriam possibilitado mudança de senha e de dados de inscrição, como opção de curso. A senha é sigilosa e só pode ser alterada pelo candidato ou por alguém que tenha acesso indevidamente a dados pessoais do candidato.
3- Casos individuais que forem identificados e informados ao MEC como suposta mudança indevida de senha e violação de dados, o MEC vai remetê-los para investigação da Polícia Federal. Nos dois casos citados pela imprensa, o Inep já identificou no sistema data, hora, local, operadora e IPs de onde partiram as mudanças de senha. Os dados serão encaminhados para a Polícia Federal.
4- Ressaltamos, também, que todas as ações realizadas no sistema são registradas em “log”, de forma a possibilitar uma auditoria completa.
5- A Secretaria de Ensino Superior (SESU) destaca que a atual gestão assumiu em maio de 2016, com o processo do ENEM 2016 em curso, na última semana de inscrições. Por isso, todo o sistema de operacionalização do ENEM foi definido na gestão anterior e estava em funcionamento, não podendo ser alterado no meio do processo.
6- Para o ENEM 2017 as equipes do INEP/SESU estão trabalhando para aperfeiçoar o Exame, de forma a garantir segurança e tranquilidade aos inscritos.

Candidata capota veículo durante exame de habilitação do Detran

Acidente ocorreu no Bairro Jabutiana, em Aracaju, nesta terça-feira (31)

© pixabay
Uma candidata à carteira de habilitação perdeu o controle da direção e capotou o veículo. O exame do Detran-SE foi aplicado no Bairro Jabutiana, em Aracaju.

De acordo com o G1, o acidente ocorreu por volta das 14h50. A mulher perdeu o controle do carro ao realizar uma curva, colidiu com uma manilha e capotou o veículo.
Segundo relato da gerente de habilitação do Detran-SE, Elizangela dos Santos, a candidata não ficou ferida. No entanto, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado.
"A candidata estava muito nervosa e acabou sendo encaminhada a uma unidade de saúde para observação", declarou.

Hackers inscrevem aluna nota mil em 'Produção de Cachaça'; MEC nega

Site do Sistema de Seleção Unificada foi alvo de ciberataque nesta segunda-feira (30)

© Reprodução / Facebook
O portal eletrônico do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi alvo de ciberataque na noite desta segunda-feira (30) e hackers selecionaram cursos superiores diferentes do que os alunos escolheram.

Tereza Gayoso, que tirou nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pretendia cursar medicina. No entanto, soube nesta terça-feira (31), que foi inscrita em "Produção de Cachaça", no Instituto Federal do Norte de Minas Gerais.
“Eu não consigo acreditar que fizeram essa ruindade comigo", declarou a estudante de 23 anos.
De acordo com a Época, um candidato do Distrito Federal também teve seu processo seletivo hackeado. O estudante, que preferiu não ser identificado, foi inscrito em "Ciências Sociais" na Universidade Federal do Acre, embora não tivesse escolhido o curso.
“Acho triste eu precisar me preocupar com minha segurança em um site do governo”, disse. “O site do Ministério era para ser, teoricamente, seguro", completou o aluno.
De acordo com o UOL, o Ministério da Educação (MEC) nega que o sistema tenha sofrido uma invasão. A pasta defende que tratam-se de crimes isolados.

Motociclista morre após ser atigindo por raio em São Paulo

O acidente ocorreu por volta das 15h20 desta segunda-feira (30), na rodovia Dom Pedro I em Atibaia

© Pixabay
Um motociclista morreu após ser atingido por um raio, na rodovia Dom Pedro I em Atibaia, São Paulo. A equipe de resgate chegou a realizar os primeiros socorros, mas o homem, de 31 anos, não resistiu aos ferimentos.

O acidente ocorreu por volta das 15h20, na via sentido Campinas. De acordo com o G1, chovia no momento que a descarga elétrica atingiu o motociclista. O capacete da vítima chegou a ser perfurado.
A Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) móvel e uma viatura de resgate foram acionadas para fazer o atendimento da vítima. No entanto, o homem não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.
A Polícia Civil foi até a região do acidente e registrou um boletim de ocorrência. O capacete e a motocicleta foram apreendidos.O corpo do motociclista foi levado ao Instituto Médico Legal de Bragança Paulista. 

Boneca seminua em posto de gasolina ganha roupa após protesto

"Frentista" foi coberta com saia longa e blusa pelo gerente de estabelecimento em São Gonçalo do Amarante

© Reprodução/Facebook
A "garota propaganda" de postos de combustíveis BR ao longo da rodovia CE-085 é uma frentista seminua. A boneca, no entanto, ganhou mais roupas em São Gonçalo do Amarante, no Ceará. O motivo foi a repercussão negativa que a "jogada de marketing" teve por explorar a imagem feminina.

Moradoras da região fizeram reclamações na administração do posto e uma postagem no Facebook do jornalista cearense Alberto Perdigão, sobre a mesma frentista em Caucaia, na Grande Fortaleza, também engrossou o coro dos insatisfeitos. Conforme o jornal Tribuna do Ceará, o gerente do posto tratou de vestir a frentista com blusa e saia longa.
A BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, informou em nota que "está adotando as medidas cabíveis para que o revendedor retire essa estátua que nada tem a ver com os elementos que compõem a imagem de um posto Petrobras, tampouco faz parte de qualquer ação publicitária ou promocional do Plano Integrado de Marketing da BR". 

Tarifa de pedágio da Ponte Rio-Niterói fica mais cara

O trecho é explorado pela concessionária Autopista Fluminense

© Reuters
Resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicada hoje (31) no Diário Oficial da União aprova reajuste da tarifa básica de pedágio da Ponte Rio-Niterói, trecho explorado pela concessionária Autopista Fluminense.

O valor cobrado no local passa de R$ 4,50 para R$ 5 nas praças de pedágio P1, em Campos dos Goytacazes, P2, em Conceição de Macabu, P3, em Casimiro de Abreu, P4, em Rio Bonito, e P5, em São Gonçalo.
A resolução entra em vigor a partir da zero hora da próxima quinta-feira (2). 

MPF denuncia ex-prefeito e mais 97 por esquema de corrupção no PR

Reni Pereira (PSB) é apontado como chefe da organização criminosa

© Reprodução / Facebook / Reni Pereira
O Ministério Público Federal no Paraná (MPF-PR) ofereceu denúncia contra 98 pessoas por esquema criminoso em Foz do Iguaçu, no oeste do estado. Entre os denunciados está o ex-prefeito da cidade Reni Pereira (PSB - foto), apontado como chefe da organização criminosa. O esquema também inclui vereadores atuais e antigos, secretários municipais da gestão de Pereira e empresários.

A denúncia tem por base as investigações da quinta e sexta fases da Operação Pecúlio, denominadas de Nipoti I e Nipoti II. Entre os crimes apurados pelo MPF-PR está o pagamento de um "mensalinho" aos vereadores em troca de apoio político na votação de projetos do Executivo. Os valores variavam entre R$ 5 mil e R$ 10 mil mensais e foram pagos a pelo menos 12 vereadores, segundo as investigações.
O texto também aponta outros crimes praticados pelo grupo, como a indicação de parentes dos vereadores para cargos na prefeitura e em empresas terceirizadas. Além disso, o grupo teria recebido propina para privilegiar o pagamento de empresas com contratos com a administração pública.
Os crimes apurados pelo MPF foram identificados por meio de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, quebra de sigilo bancário e fiscal dos envolvidos e colaborações premiadas de réus presos em fases anteriores da operação. Segundo a acusação, os 98 denunciados "integravam uma complexa organização criminosa, estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas".
Os denunciados vão responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, fraudes de licitações, organização criminosa, falsidade ideológica, dispensa indevida de licitação e usurpação do exercício de função pública. Oitenta e cinco envolvidos no esquema já são réus na Operação Pecúlio. A ação penal tramita na 3ª Vara Federal de Foz do Iguaçu.
A reportagem não conseguiu localizar o advogado de Reni Pereira para falar sobre a denúncia. Com informações da Agência Brasil.

Eike deixa sede da PF após 2h15 de depoimento

Empresário falou pela primeira vez no âmbito da Operação Eficiência

© Ueslei Marcelino / Reuters
O empresário Eike Batista chegou à sede da Polícia Federal do Rio por volta das 14h45 desta terça-feira (31) para prestar depoimento a delegados e agentes da força-tarefa da Operação Lava Jato na capital carioca. O empresário passou cerca de 2h15 no local e, às 18h47, deixou o prédio para voltar a Bangu 9.

De acordo com informações do UOL, o empresário foi escoltado por agentes federais no percurso entre o presídio Bandeira Stampa, em Bangu, e o centro da cidade, onde está localizado o prédio da PF.
Esta será a primeira vez que Eike vai depor à Justiça no âmbito da Operação Eficiência, um desdobramento da Operação Calicute - ação que prendeu o ex-governador do Rio Sérgio Cabral.
Eike foi preso na segunda-feira (30), ao desembarcar no Rio de um voo de Nova York. Sua primeira noite em Bangu 9 não teve ocorrências, de acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap).

"PCC está oferecendo emprego às Farc", diz ministro colombiano

Os dissidentes das Farc, entre 5 a 10% do total, estariam insatisfeitos com os acordos de paz realizados pelo grupo armado colombiano

© John Vizcaino / Reuters
Nesta terça-feira (31), o jornal norte-americano 'The Wall Street Journal' informou que a facção criminosa primeiro Comando da Capital (PCC) estaria recrutando integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para a organização.

"O PCC está oferecendo empregos às Farc", afirmou o ministro da Defesa da Colômbia, Luis Carlos Villegas, segundo o jornal.
De acordo com a publicação, os dissidentes das Farc, entre 5 a 10% do total, estariam insatisfeitos com os acordos de paz realizados pelo grupo armado colombiano.
"O PCC está obsessivo em conseguir treinamento militar", disse o promotor Lincol Gakiya, que investigou por dez anos a facção brasileira.

Bandidos colocam faixa com regras para entrar em comunidade no Rio

Caso foi registrado na Praça Seca, na Zona Oeste da capital fluminense

© Reprodução / Facebook / Jacarepagua Notícias
Traficantes da Praça Seca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, colocaram uma faixa na entrada da Rua Capitão Menezes, com um recado para moradores e visitantes que passarem pelo local, que dá acesso a uma comunidade.

“Atenção moradores e visitantes, ao entrar na comunidade, abaixe o vidro e acenda a luz do salão, para a sua própria segurança. Grato pela compreensão, a firma agradece!”, diz o recado, de acordo com informações do perfil Jacarepaguá Notícias, no Facebook, e do jornal Extra.
A faixa foi colocada no último fim de semana, mas já foi retirada por policiais do 9º BPM (Rocha Miranda).

Vídeo: PM é baleado durante tentativa de assalto em shopping

De acordo com a assessoria de comunicação da PM, Daniel Oliveira Pessoa foi atingido por três tiros, um na cabeça, um no pescoço e outro nas costas

© Reprodução
Imagens das câmeras de segurança de um shopping em Natal, no Rio Grande do Norte, flagraram o momento que um policial militar é baleado por bandidos durante uma tentativa de assalto a uma joalheria, nesta terça-feira (31).

De acordo com a assessoria de comunicação da PM, Daniel Oliveira Pessoa foi atingido por três tiros, um na cabeça, um no pescoço e outro nas costas. Ele foi levado para o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, na Zona Leste de Natal, em estado muito grave.
Nas imagens, é possível ver o momento que o PM se aproxima da joalheria e conversa com um rapaz de terno na porta da loja. O homem, que também é um dos assaltantes, se aproveita do desconhecimento do policial e atira nele pelas costas. Dentro da loja, o outro assaltante corre em direção à saída. Os bandidos fogem e o criminoso de branco pega a arma do policial caído.
                                                            © Reprodução
"O militar estava no shopping quando presenciou a ação de no mínimo três homens que tentavam assaltar uma joalheria no shopping. Ele reagiu e conseguiu atingir um dos homens, mas foi alvejado três vezes", relatou o major Franco.
Por meio de nota, o Partage Norte Shopping informou que ocorreu uma tentativa de assalto a uma joalheria do empreendimento.
"Três elementos fizeram um refém e entraram na loja para realizar o roubo. Percebendo a ação, um policial militar, à paisana, tentou intervir e foi ferido. Todo o atendimento de emergência foi prestado, o policial foi socorrido pelo SAMU e levado ao Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. Nenhum item chegou a ser levado".
Segundo informações do G1, até o início da tarde desta terça, nenhum suspeito foi encontrado.

Caveirão da PM arrasta táxi em operação no Complexo da Maré

Na imagem, o táxi aparece com a lateral totalmente amassada

© Divulgação
Na manhã desta terça-feira (31), um veículo blindado da Polícia Militar, mais conhecido como Caveirão, arrastou um táxi que estava estacionado em uma rua no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio.

De acordo com o perfil do Facebook "Redes da Maré", o carro estava na comunidade Bento Ribeiro Dantas, conhecida como Fogo Cruzado, quando foi atingido pelo blindado da PM. Na imagem, o táxi aparece com a lateral totalmente amassada.
Por meio da assessoria de imprensa, a PM se limitou a dizer que a ação está "sem balanço até o momento".

Moradores prendem e matam suposto ladrão em Duque de Caxias

Patrick Soares, de 25 anos, realizava assaltos no bairro quando foi pego por populares

© DR
Um suposto ladrão foi executado por moradores de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, após ter sido amarrado em um poste, na manhã desta terça-feira (31).

De acordo com a Delegacia de Homicídios da Baixada, um outro homem, que seria comparsa da vítima, também foi amarrado e arrastado pelas ruas do bairro.
Segundo informações do Extra, Patrick Soares, de 25 anos, realizava assaltos no bairro quando foi pego por populares. Enquanto estava amarrado, pouco antes das 7h, um homem a bordo de um carro Palio branco se aproximou e disparou três tiros contra a vítima, que morreu na hora.
"Eu ouvi, por volta de 6h30, uma gritaria de "pega ladrão" na rua. Eu sempre ouço gente pedindo socorro! O local tem assalto todo dia pela manhã. Eu não olho, tenho medo de olhar pela janela e levar um tiro porque o ladrão se assustou", contou um morador, que pediu para não ser identificado. "Mas assim, de amarrar e matar, foi a primeira vez que vi".
De acordo com testemunhas, Patrick e o outro homem seriam primos e já eram conhecidos por cometerem crimes na região.
Segundo informe da PM, o sobrevivente foi identificado como Rafael, e foi levado para a delegacia. Ele teria sido arrastado por 50 metros na rua.
"Eu não sou contra pegar e bater não, mas quando o vi amarrado eu senti pena sim", disse uma jovem moradora, de 22 anos.

Ex-prefeito se esconde em forro de casa para tentar fugir da polícia

Gilberto Dankra, ex-gestor do município de Piên, teria participado da morde do prefeito Loir Dreveck

© Divulgação/Polícia Civil
Agentes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) prenderam na manhã desta terça-feira (31) Gilberto Dankra (PSD), o ex-prefeito de Piên, município da Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná.

O vídeo abaixo mostra que Dankra tentou se esconder no forro de sua casa para tentar escapar da polícia.



Dankra é suspeito de ter participação no assassinato do prefeito eleito Loir Dreveck (PMDB), morto a tiros por um motociclista numa rodovia catarinense em dezembro do ano passado.
De acordo com o G1, Giberto Dankra foi preso em sua mansão em Piên. Ao todo, 14 mandados judiciais foram expedidos pela Justiça: três de prisão temporária, três de condução coercitiva e oito de busca e apreensão.

Via...Notícias ao Minuto

Bando ataca quartéis da PM para desviar foco e assaltar bancos em MG

Caso aconteceu em Bueno Brandão, no sul do estado de Minas Gerais

© REPRODUÇÃO / TV Globo
Bandidos estão atacando a tiros quartéis da Polícia Militar em Bueno Brandão, no Sul de Minas Gerais, com o objetivo de intimidar os policiais para então roubarem agências bancárias  A prática vem deixando despertando medo nos 11 mil habitantes da cidade.

Em entrevista ao telejornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, o major Paulo Roberto Barros comentou o caso. “Eles fizeram isso para inibir os policiais que estavam de serviço de se deslocarem até o local onde eles estavam”, contou.
Em Três Pontas, na mesma região, os criminosos fizeram a mesma coisa. Disparam tiros para afastar a polícia e intimidar moradores. A PM disse que ao menos 7 criminosos participaram dos ataques e levaram dinheiro.
Em 2016, o estado de Minas Gerais registrou 110 ataques a caixas eletrônicos.

Ex-assessor acusado de lavar quase R$ 8 mi para Cabral está foragido

Francisco de Assis Neto está em lista de procurados da Interpol

© Divulgação
O empresário e ex-assessor Francisco de Assis Neto é considerado foragido da Justiça após ser incluído na lista de Difusão Vermelha da Interpol na segunda-feira (30) no âmbito da Operação Eficiência - mesma ação que prendeu o empresário Eike Batista.

Ambos são suspeitos por envolvimento em esquema de propina com o ex-governador do Rio Sérgio Cabral. As informações são do site da revista Época.
Conhecido como Kiko, Francisco de Assis Neto, teria recebido quase R$ 8 milhões em dinheiro de propina que pertencia a Cabral.
“Francisco foi responsável pela manutenção e lavagem desses recursos ilícitos no período de 2013 a 2014”, informa a ficha da Interpol. "Ele era funcionário público, nomeado [por Cabral] na Secretaria de Comunicação Social até dezembro de 2013", conclui o documento.

Deputado do PMDB usou verba pública para visitar Cunha na prisão

Carlos Marun encontrou o deputado cassado no fim de dezembro; após denúncia, afirma que vai devolver o dinheiro

© fotos públicas
O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) usou dinheiro público para pagar parte das despesas de uma visita que fez ao deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Complexo Médico Penal de Pinhais, em Curitiba.

De acordo com o jornal O Globo, o encontro ocorreu em 30 de dezembro do ano passado. A reportagem encontrou entre as despesas de sua cota parlamentar uma passagem no trecho Curitiba-Porto Alegre e uma diária em hotel na capital paranaense que coincidiam com a data da visita.
O bilhete aéreo do dia 29 de dezembro, emitido pela Azul, custou R$ 327,58. Já a hospedagem no hotel Rochelle, no Centro de Curitiba, custou R$ 154,35.
O parlamentar negou que a visita tivesse "caráter político" e disse que pretende devolver R$ 1,2 mil entre passagens e hospedagens.

Ex-senador Luiz Estevão vai para a solitária da Papuda

Fiscalização encontrou itens proibidos na cela do político, como cafeteira, chocolate e massa importada

© DR
A Justiça Federal do Distrito Federal determinou nesta terça-feira (31) que o ex-senador Luz Estevão fique isolado no Complexo da Papuda após fiscalização encontrar uma série de itens proibidos na cela do político, como "cafeteira, cápsulas de café, chocolate, massa importada, dentre outros". A medida foi considerada "falta disciplinar".

“Tendo em vista a falta disciplinar imputada ao interno, foi determinado, pelo Coordenador-Geral da Sesipe [Subsecretaria do Sistema Penitenciário], seu encaminhamento ao Pavilhão Disciplinar, pelo prazo de 10 (dez) dias, como isolamento preventivo, exatamente como é feito com todo e qualquer interno do sistema penitenciário do Distrito Federal”, avaliou a juíza Leila Cury.
De acordo com informações do G1, a defesa do ex-senador não quis comentar a decisão. No processo, os advogados de Luiz Estevão alegaram que não foi encontrado "nada de relevante" no local.
Condenado a 26 anos de prisão, o ex-senador também é acusado pelo Ministério Público de pagar por uma reforma do bloco onde está. Ex-diretores do sistema penitenciário também são acusados de encobrir as obras. De acordo com o MP, a reforma foi paga por meio de uma empresa de fachada. A Secretaria de Segurança Pública informou que está investigando a situação.

PF livra Mantega e ex-presidente do 'tribunal de Receita' na Zelotes

Inquérito havia sido instaurado, em 2015 para apurar supostas negociações ilícitas envolvendo o Cimento Penha, advogados e integrantes do Carf

© Agência Brasil

A Polícia Federal indiciou sete pessoas, mas livrou o ex-ministro da Fazenda Guido Mantenga e o ex-presidente do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) - o 'tribunal da Receita' - Otacílio Cartaxo em um dos inquéritos da Operação Zelotes. Os indiciamentos foram propostos pela delegada federal Rafaella Vieira Linhas Parca no inquérito sobre supostos ilícitos envolvendo um processo do Grupo Cimento Penha. Victor Sandri, amigo de Mantega e proprietário do Cimento Penha, foi indiciado por lavagem de dinheiro e corrupção ativa.

O inquérito havia sido instaurado, em 2015 para apurar supostas negociações ilícitas envolvendo o Cimento Penha, advogados e integrantes do Carf para modificar decisões desfavoráveis ao Grupo. O Carf é uma espécie de tribunal que avalia questionamentos de contribuintes a débitos aplicados pela Receita Federal.
O processo tramitou no Carf entre os anos de 2011 e 2012 e resultou na exoneração de exigência tributária na ordem de R$ 57 milhões. Os crimes apurados são lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, advocacia administrativa fazendária e associação criminosa. Mantega e Cartaxo chegaram ser alvo de condução coercitiva e busca e apreensão na investigação.
"E em que pese haver algumas evidências de que outras pessoas provavelmente estariam envolvidas no esquema criminoso (Guido Mantega, Otacílio Cartaxo, Jorge Celso, Francisco de Sales e Valmir Sandri), esta subscritora deixou de indiciá-las por entender que não restou comprovado, por meio dos elementos objetivos colhidos, o aspecto subjetivo dos referidos investigados", anotou a delegada em seu relatório final.
Ainda no documento, a delegada detalha que a atuação do suposto grupo criminoso se deu entre fevereiro de 2011 e agosto de 2012 de modo a atender os interesses do Cimento Penha. Para isso, narra a delegada, foram manipuladas a composição e o sistema de escolha do relator do processo. No inquérito, entre outras provas colhidas da atuação do Grupo, a PF elenca indícios de encontros pessoais, troca de e-mails e ligações telefônicas entre os investigados.
O Grupo Comercial Cimento Penha é uma sociedade de comércio atacadista de cimento, calcário e materiais de construção sediada em São Paulo e com filial na cidade de Votorantin (SP). Segundo a PF, a empresa comandada por Victor Sandri foi autuada pela Receita em 2004, após não comprovar a origem de recursos enviados a instituições financeiras internacionais nas Bahamas e no Uruguai por meio das contas CC5 - investigadas no caso Banestado. As tentativas da empresa em anular o débito de R$ 57 milhões tiveram início em 2008 e se estenderam até 2012, quando um recurso especial foi provido durante a gestão de Otacílio Cartaxo, então presidente do Carf.
Responsável pela defesa de Cartaxo, o advogado Rodrigo Mudrovitsch afirma que a conclusão da autoridade policial 'mostra que as medidas constritivas adotadas contra seu cliente não eram necessárias'. Segundo Mudrovitsch, o ex-presidente do Carf 'não possui qualquer envolvimento com o caso'.
Pelo ex-ministro Guido Mantega, o criminalista José Roberto Batochio disse que a decisão da delegada federal realiza Justiça uma vez que o petista, 'nem mesmo de longe, tem qualquer relação ou envolvimento nas supostas irregularidades que teriam envolvido o Carf'.
O advogado Ticiano Figueiredo, responsável pela defesa de Victor Sandri, afirmou estar perplexo com o indiciamento e apontou que a 'ausência de prova é tão manifesta no relatório que a delegada não descreveu uma só conduta criminosa praticada pelo empresário'. "Ao que parece se buscou um indiciamento para justificar as gravosas medidas cautelares deferidas contra ele no inicio da operação", disse Figueiredo.
Defesa
O criminalista José Roberto Batochio, defensor do ex-ministro Guido Mantega afirmou em nota que a decisão da autoridade policial em não indiciar o ex-ministro Guido Mantega "realiza Justiça no caso". "De fato, o ex-ministro Guido Mantega jamais teve, nem mesmo de longe, qualquer relação ou envolvimento nas supostas irregularidades que teriam envolvido o Carf. Neste momento dramático da vida do ex-ministro essa decisão administrativa justa ameniza as suas atribulações, de resto imerecidas", afirmou.

'Não vamos votar num deputado por posições políticas', diz líder do PT

Carlos Zarattini negou que haja um racha interno no partido com relação a quem a sigla deve apoiar na eleição para a presidência da Câmara

© Agência Brasil
O líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), afirmou nesta terça-feira (31) que o partido não votará na eleição da Casa com base em "posições políticas" dos candidatos.

"O que está sendo discutido aqui é a direção do parlamento, nós não vamos votar em um deputado ou em outro por suas posições políticas", disse Zarattini em entrevista coletiva.
O deputado negou que haja um racha interno no partido com relação a quem a sigla deve apoiar na eleição para a presidência da Câmara, que acontece nesta quinta-feira (2).
"Existem várias posições políticas e vamos chegar a um consenso", afirmou.O PT se reúne às 15h desta terça para decidir como votará nas eleições internas.No início do ano, parecia certo que o partido votaria com o atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), cuja sigla apoiou o impeachment de Dilma Rousseff em 2016, para garantir um lugar na Mesa Diretora.
Dificuldades nas negociações e a chance cada vez mais forte de partidos governistas formarem um bloco que excluiria o PT da Mesa fizeram o PT mudar de ideia.
Agora, a tendência é que o partido apoie André Figueiredo (PDT-CE) ou lance candidato próprio na disputa. O nome mais cotado é Paulo Teixeira (SP).
Caso não consiga um lugar na Mesa Diretora, o PT não descarta judicializar a questão para fazer valer um artigo do Regimento Interno da Câmara que garante espaço para a Minoria.
"Judicializar é ruim, mas podemos não ter outra saída", afirmou o líder do partido na Casa.
PROPAGANDA
Zarattini anunciou também que vai ingressar na Justiça Federal com uma ação popular contra o governo federal por causa da campanha publicitária sobre a reforma da Previdência.
Na ação, o líder do PT na Câmara requer que a propaganda seja suspensa e que o presidente Michel Temer, o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) e o secretário de Comunicação, Márcio Freitas, ressarçam os cofres públicos com os valores já gastos.
"O governo está gastando milhões nesta propaganda mentirosa da reforma da Previdência. Essa propaganda é terrorista", afirmou Zarattini. Com informações da Folhapress.

PMDB poderá comandar Senado por 12 anos se Eunício vencer o pleito

Senador Eunício Oliveira foi oficializado como candidato do partido nesta terça-feira

© Beto Barata/PR
O PMDB oficializou nesta terça-feira (31) o senador Eunício Oliveira como candidato do partido ao comando do Senado. E apesar de saber que os senadores do PT não vão votar nele, o peemedebista, que vai encarar o pleito para suceder Renan Calheiros na Casa, vai manter a Mesa com participação petista.

Quero agradecer a confiança da bancada pela aclamação. E buscar, dentro da proporcionalidade (de participação dos partidos), harmonizar a Casa”, disse o senador Eunício ao jornal O Globo.
Se Eunício vencer as eleições para o comando da Casa, o PMDB ficará no comando do Senado por 12 anos seguidos.

Procuradoria vai abrir novo inquérito para investigar Aécio

O tucano vai ser investigado por suspeita de recebimento de valores supostamente desviados das obras da Cidade Administrativa na gestão de Aécio no governo de Minas

© REUTERS / Ueslei Marcelino
Após a homologação da superdelação da Odebrecht - 77 executivos, ex-executivos e funcionários da empreiteira -, a Procuradoria-Geral da República vai abrir novo inquérito para investigar o senador Aécio Neves (PSDB).

A informação foi revelada com exclusividade pelo site Buzzfeed. O tucano vai ser investigado por suspeita de recebimento de valores supostamente desviados das obras da Cidade Administrativa na gestão de Aécio no governo de Minas (2003/2010). O empreendimento foi orçado em R$ 500 milhões, mas teria alcançado a cifra aproximada de R$ 2 bilhões.
Segundo informa o Buzzfeed, a Procuradoria-Geral da República vai pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para abrir o inquérito. Na condição de senador, Aécio tem foro privilegiado perante a Corte máxima.
O tucano teria recebido dinheiro de empreiteiras contratadas para a construção da Cidade Administrativa, entre elas a Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez, todas citadas no esquema de cartelização e propinas instalado na Petrobras entre 2004 a 2014 e desmascarado pela Operação Lava Jato.
Procurada, a assessoria do senador informou que não ia se manifestar e encaminhou uma nota escrita pelo PSDB de Minas.
"Trata-se de assunto requentado. O PSDB MG desconhece a suposta decisão da PGR e rechaça as também supostas acusações em relação ao senador Aécio Neves. O partido informa que os valores citados estão equivocados. Nunca houve um orçamento no valor de R$ 500 milhões", diz a nota.
"Tal cifra surgiu apenas como estimativa, sem estar amparada em projeto ou orçamento, quando da primeira ideia de construção de outro projeto em outro local. Informa também que o valor licitado da obra foi de R$ 949.371.880,50. O PSDB MG contesta insinuação de irregularidade e informa que o edital da licitação foi previamente apresentado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas e todos os procedimentos foram acompanhados e auditados por empresa externa ao Estado contratada via licitação. Informamos ainda que o senhor Oswaldo da Costa nunca teve atuação informal nas campanhas do PSDB com as quais colaborou, tendo sempre atuação formal e conhecida na arrecadação de recursos nas campanhas do PSDB." Com informações do Estadão Conteúdo.

Aécio quer indicar próximo presidente da Vale

Senador tucano está decepcionado com a gestão de Murillo Ferreira, que não teria favorecido Minas Gerais

© REUTERS / Ueslei Marcelino
A gestão de Murillo Ferreira na presidência da Vale não agradou o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que está trabalhando com todas as forças para indicar o sucessor do atual gestor da mineradora.

De acordo com o blog Expresso, da revista Época, o senador tucano acha que Ferreira, cujo mandato termina em maio de 2017, privilegiou o estado do Pará, e não o de Minas Gerais, conforme Aécio desejava.
Aécio teria mais de um nome para tentar emplacar no cargo.

PF deflagra operação para investigar avião de Eduardo Campos

Operação Vórtex é um desdobramento da Turbulência, que foi deflagrada em junho de 2016

© REUTERS / Nacho Doce
A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (31) a Operação Vórtex, que investiga a compra do avião de Eduardo Campos. Ao todo, 30 agentes estão nas ruas de Recife, em Pernambuco, para cumprir 6 mandados de busca e 4 de condução coercitiva.

De acordo com informações do jornal O Globo, a PF analisou dados bancários das pessoas físicas e jurídicas que que estiveram no processo de compra da aeronave Cessna Citation de prefixo PR-AFA e notou que os valores transferidos foram feitos por uma empresa que tinha contratos milionários com o governo pernambucano.
Em nota, a PF comentou o caso. “Ao investigar mais a fundo a empresa remetente dos recursos, verificou-se que ela possui contratos milionários com o governo do Estado e que suas doações a campanhas políticas aumentaram de forma exponencial ao longo dos últimos anos, notadamente para o partido e candidatos apoiados pelo ex-governador do estado, Eduardo Campos”.
A Operação Vórtex, que significa o movimento de massas de ar em redemoinho que precede a turbulência, é um desdobramento da Operação Turbulência, que foi deflagrada em junho de 2016.

Da cadeia, Cunha se mexe para atrapalhar reeleição de Maia

Deputado cassado tem enviado recados através de interlocutores que o visitaram na carceragem da PF em Curitiba

© REUTERS / Ueslei Marcelino
Apesar de estar preso, o deputado cassado Eduardo Cunha está trabalhando para impedir a candidatura à reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na Câmara dos Deputados. Segundo informações do Blog do Camarotti, o Planalto já tem conhecimento da movimentação do peemedebista, que está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba.

O blog ainda diz que Cunha mandou recados para Brasília via interlocutores que o visitaram na carceragem curitibana. A tentativa de Cunha em minar Maia preocupou o time do atual presidente da Câmara.
Eduardo Cunha pediu que todos os esforços sejam feitos para impedir Maia de vencer no primeiro turno e, com isso, embaralhar tudo.

Bandido tenta roubar assaltantes e encontro termina em ‘paz’ no Rio

Caso aconteceu em Anchieta, na Zona Norte da capital fluminense

© Reuters
Uma tentativa de assalto inusitada foi registrada no bairro de Anchieta, na Zona Norte do Rio de Janeiro, no último domingo (29).

De acordo com a coluna Ancelmo Gois, do jornal O Globo, um motorista de um carro modelo Corolla fechou uma caminhonete numa via local e anunciou o assalto. Só que o outro automóvel também era guiado por assaltantes. Segundo a publicação, o encontro dos criminosos terminou confraternização.

'A princípio não há possibilidade de delação', diz advogado de Eike

Empresário preso na segunda-feira (30) presta depoimento hoje à Polícia Federal

© Ueslei Marcelino / Reuters
O advogado de Eike Batista, o criminalista Fernando Martins, reafirmou na tarde desta terça-feira (31) que ainda não definiu se o empresário irá fechar acordo de delação premiada.

"A princípio não há possibilidade de delação", disse Martins. Ele fez a breve declaração assim que chegou à sede da Polícia Federal, no centro do Rio, por volta das 14h15.

Eike tem depoimento marcado para às 15h no local. Segundo a "GloboNews", os agentes buscaram o preso no Complexo Penitenciário de Bangu às 14h05. Ele chegou ao local cerca de 40 minutos depois, em um carro da PF.
O advogado disse que falaria à imprensa quando o depoimento, que não tem hora para acabar, fosse encerrado.
Martins disse que protocolou nesta segunda (30) um pedido de habeas corpus em favor do empresário.
A frente do prédio da PF no Rio se transformou em inusitado ponto turístico. Pessoas aguardam a chegada de Eike com celulares nas mãos para registrar o momento.
O empresário foi transferido para Bangu na manhã desta segunda, ao desembarcar na pista do aeroporto do Galeão, no Rio. Ele havia sido inicialmente levado para o presídio Ary Franco.
ALVO
Eike foi o principal alvo da Operação Eficiência, deflagrada pela Polícia Federal, na quinta-feira (26).
Quando a ação estourou, ele estava fora do país e foi considerado foragido pela Justiça, procurado pela Interpol (Polícia Internacional). Seus advogados negaram, na ocasião, que ele tivesse fugido.
Ele teve a prisão decretada depois que dois doleiros fizeram acordos de delação com a Operação Lava Jato no Rio e contaram que ele pagou US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador do Rio Sergio Cabral, que está preso. Com informações da Folhapress.
Topo