sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Ataques aéreos na Síria fazem oito mortos entre forças pró-iranianas

"Aviões não identificados atacaram veículos e depósitos de armas do Hachd", disse Rami Abdel Rahmane

@DR
Pelo menos oito combatentes do Hashd al-Chaabi, uma coligação de paramilitares iraquianos liderados por forças pró-iranianas, foram mortos nesta sexta-feira (10) em ataques aéreos no leste da Síria, indicou o Observatório Sírio de Direitos Humanos
OSDH).
"Aviões não identificados atacaram veículos e depósitos de armas do Hachd na região de Boukamal", disse o diretor da OSDH, Rami Abdel Rahmane.
Nesta região da província de Deir Ezzor, na fronteira com o Iraque, "oito combatentes iraquianos do Hashd foram mortos", acrescentou.
Um porta-voz da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, posicionada no Iraque, mas também na Síria, negou qualquer envolvimento.
Desde quarta-feira, três aldeias na região de Boukamal, onde estão posicionadas forças pró-iranianas, foram alvo de ataques não identificados de 'drones' [aparelhos aéreos não tripulados] que não deixaram vítimas, segundo Abdel Rahmane.
Este ataque noturno mais recente tem como pano de fundo as crescentes tensões no Médio Oriente entre os Estados Unidos e o Irã, uma semana após a morte do general iraniano Qassem Soleimani num ataque norte-americano a 03 de janeiro, no Iraque.
O tiroteio também matou Abu Mehdi al-Mouhandis, o 'número dois' do Hachd, que integrava as forças de segurança iraquianas.
No final de 2019, um ataque aéreo norte-americano no Iraque matou 25 combatentes do Hachd, da facção Brigadas do movimento extremista islâmico Hezbollah. Os partidários do Hachd invadiram, de seguida, a embaixada norte-americana em Bagdade.
No passado, Israel foi responsabilizado por ataques semelhantes na província síria de Deir Ezzor. Mas a coaligação internacional liderada por Washington também admitiu ter bombardeado as forças pró-regime.
Desencadeado em março de 2011 pela supressão de protestos pró-democracia, o conflito sírio envolve uma série de potências estrangeiras e grupos armados.
O conflito causou mais de 380.000 mortos e milhões de deslocados.



VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo