quarta-feira, 11 de agosto de 2021

Estas são as tendências de decoração que os designers sentem mais falta

 

Desde móveis jeans, a armários da china, os designers de interiores sentem mais falta daquilo que já foi usado. A verdade é que a maioria deles anseia mesmo pelo reaparecimento do passado...

© Carina Romano

Por muito que os designers de interiores tenham de se manter atualizados com as últimas tendências e estilos de decoração das casas, muitas vezes anseiam pelo reaparecimento do passado. Quem diz é a plataforma norte-americana Apartment Therapy que tira esta conclusão depois de conversar com nove designers dos EUA. Segundo a plataforma, a boa notícia é que são vários os looks que poderá introduzir ainda hoje em sua casa

Repetição de padrões

"Sinto falta de padrões em estofos e de os ver em abundância no resto da sala. Alguns clientes hesitam em comprometer-se com (somente) um padrão, mas com o tecido certo, pode ser mágico", confessa Anne Wagoner, da Anne Wagoner Interiors.

Uma cozinha verdadeira

"Adoro a ideia de uma verdadeira cozinha onde a mesa de jantar é no meio ou no canto da sala. A minha tia tinha um combinado (mesas e cadeiras) quando eu estava crescendo, e era tão aconchegante e conveniente. Os hóspedes podiam se sentar e conversar à mesa enquanto o anfitrião cozinha. É uma coisa muito nostálgica", começa por revelar Caroline Harvey, da Simply CH Lifestyle & Interiors.

"A minha nova casa", continua, "realmente tem uma cozinha come-in, e eu estou animada para esta forma tradicional de reunir e partilhar refeições com os meus filhos", sustenta ao Apartment Therapy.

Cartazes na parede

Esta é "uma tendência específica nos anos 90" e Louis Duncan-He, da Louis Duncan-He Designs, adorava. "Tinha tantos cartazes no meu quarto e era viciado. Seria interessante agora ver como poderíamos fazê-lo de uma forma mais elegante e chique. Talvez misturar cartazes emoldurados com não emoldurados, ter um belo cartaz emoldurado em conjunto com algo mais cru? Pode ser uma vibração interessante."

Vieiras e florais brilhantes e arrojados

"A minha primeira casa foi construída em 1941, e quando a comprei, estava praticamente no seu estado original", uma caraterísticas que a decoradora e estilista Allison Rowan, da At Home com Alison tanto estima, informa a plataforma.

"Adoro muitos dos elementos de design dos anos 40, mas gosto particularmente de detalhes de borda escalonada em cozinhas vintage. Gostaria de ver mais vieiras em tratamentos de janela e detalhes de decoração. E o papel de parede desta época era tão fabuloso! As florais brilhantes e arrojadas (algumas com folha de ouro!) eram tão requintadas", acrescenta.

Armários da China

"Embora as gerações mais novas tendam a ser mais casuais e menos interessadas na porcelana tradicional, acredito que o armário da China ainda tem um lugar em casa. (…) Utilize as prateleiras envidraçadas para exibir belos utensílios, cerâmica ou objetos decorativos. Mostrando a sua personalidade, torna-se a peça perfeita para despertar a conversa enquanto entretém em casa", refere Emma Beryl.

Granito e mais granito

"Ultimamente, redescobrimos o nosso amor pelo granito", revela Melissa Lee, da Bespoke Only. "Vem numa variedade de veias e cores e oferece incrível força e durabilidade. Há algum tempo que é visto como um material datado, mas é visto como um cavalo de trabalho que entrega tanto esteticamente como funcionalmente", declara ao Apartment Therapy.

Conceitos fechados

Para Eugenia Triandos, da Hi-Bou Design & Co., "ter uma casa com quartos fechados permite mais flexibilidade e variedade quando se trata de decoração, e geralmente é mais fácil de mobilar do que um espaço aberto. Também permite muito mais privacidade e impermeabilização sonora."

Móveis jeans

"Vamos lá, pessoal, vamos trazê-lo de volta!", apela Michelle Berwick da Michelle Berwick Design. Ainda assim, Berwick não está falando "de um sofá de retalhos com um bolso onde possas enfiar os controles de TV", mais sim uma anotação "sobre aquela linda cor azul com grande textura e durabilidade incrível. Traga de volta o mobiliário jeans com linhas limpas e silhuetas simples", reforça o apelo. 

O maximalismo

Segundo a designer Diana Rose da Diana Rose Architectural & Interior Designs, "as pessoas parecem querer copiar cozinhas brancas e quartos neutros para permitir espaços frescos e arejados. No entanto, todos nós acabamos por ter casas semelhantes que são tão imaculadamente encenadas."

Assim, Diana Rose é uma nostálgica nata "por desenhos maximalistas de uma forma que permite que cada interior seja mais único e rico com uma personalidade forte. Embora o minimalismo tenha sido bastante popular, sinto que despojou qualquer capacidade de autoexpressão", confessa a designer à plataforma norte-americana.

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo