quinta-feira, 21 de abril de 2022

Portugal avalia extradição de doleira presa na Lava Jato

O empasse ocorre porque a doleira foi presa por suspeita de tráfico internacional de drogas, sendo necessário que um juiz português analise o caso antes de liberar Nelma para seguir com a Polícia Federal para o Brasil.

© Reprodução


SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - O destino da doleira da Lava Jato, Nelma Kodama, será decidido nesta quinta-feira (21) pela Justiça de Portugal. Agentes da Polícia Federal se preparavam para trazê-la nesta quarta (20) ao Brasil, mas a ação só poderá ocorrer caso haja o processo de extradição.

O empasse ocorre porque a doleira foi presa por suspeita de tráfico internacional de drogas, sendo necessário que um juiz português analise o caso antes de liberar Nelma para seguir com a Polícia Federal para o Brasil.

Em entrevista ao O Globo, o advogado da suspeita, Adib Abdouni, afirmou que a expectativa é de que Portugal analise o caso ainda hoje. Segundo ele, Nelma está "apreensiva" e deseja chegar logo ao Brasil onde, segundo ele, "ela tem como se defender".

Nelma está detida no Estabelecimento Prisional de Tires, sistema prisional localizado nas proximidades de Lisboa, na capital portuguesa.

PRISÃO EM LISBOA E LIGAÇÃO COM A LAVA JATO

Nelma foi detida por suspeita de promover câmbio ilícito de valores em uma organização criminosa, especializada no tráfico internacional de cocaína entre o Brasil e Portugal. A prisão aconteceu na última terça-feira (19).

Em março de 2014, Nelma Kodama, que também é conhecida como a "Dama do Mercado", foi detida na primeira fase da Operação Lava Jato, em São Paulo.

A prisão ocorreu quando a doleira tentava embarcar para Milão, na Itália, com 200 mil euros escondidos na calcinha.

Nelma já havia sido acusada de participar de um esquema lavagem de dinheiro junto com o doleiro Alberto Youssef. Sua condenação em primeira instância previa 18 anos de prisão.

No ano seguinte, durante interrogatório da CPI da Petrobras, Nelma chamou a atenção ao cantar um trecho da música Amada Amante, do cantor Roberto Carlos, ao ser questionada sobre sua relação com Youssef.

"Sob meu ponto de vista, eu vivi maritalmente com Alberto Youssef do ano de 2000 a 2009. Amante é uma palavra que engloba tudo, né? Amante é esposa, amante é amiga", disse ela na ocasião. "Tem até uma música do Roberto Carlos: a amada amante, a amada amante. Não é verdade? Quer coisa mais bonita que ser amante? Você ter uma amante que você pode contar com ela, ser amiga dela."

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo