Publicidade

CLIMA

Mais previsões: Lisboa tempo por hora

sábado, 5 de agosto de 2023

Drones ucranianos atacam petroleiro russo no Estreito de Kerch

Um ataque com drones submarinos ucranianos no Estreito de Kerch causou danos a um petroleiro russo, interrompendo brevemente o tráfego na ponte estratégica que liga a Crimeia à Rússia, confirmou hoje a imprensa russa.

© Lusa

A embarcação foi danificada, mas sem originar qualquer derrame de petróleo, informou a agência de notícias Tass, citando o Centro de Resgate Marítimo russo, que referiu ainda que dois rebocadores já chegaram ao local.

O barco tinha 11 pessoas a bordo e vários membros da tripulação ficaram feridos por estilhaços de vidro durante o ataque, disse um funcionário nomeado pela Rússia na região ucraniana de Zaporijia, Vladimir Rogov, na plataforma de mensagens Telegram.

De acordo com o jornal Moscow Times, o ataque visou o navio químico SIG, alvo de sanções dos Estados Unidos por ter fornecido combustível às forças russas que vieram em auxílio do regime do Presidente sírio Bashar al-Assad durante a guerra civil na Síria.

O ataque levou a que o tráfego na ponte que liga a Rússia à península da Crimeia, anexada por Moscou em 2014, fosse suspenso por três horas antes de ser retomado no início da manhã de hoje, de acordo com o centro de informações rodoviárias.

A ponte Kerch é a única estrutura do gênero que liga a península à Rússia e tem sido a principal via para transportar equipamento para os militares russos na frente de batalha.

Também a agência de notícias ucraniana UNIAN avançou que o ataque contra o petroleiro SIG, vindo da Turquia, fez a embarcação balançar entre um e dois graus e provocou uma inundação da casa das máquinas.

O impacto do drone, ocorrido a cerca de 51 quilômetros do estreito de Kerch, causou uma detonação que foi vista da península da Crimeia e deixou o navio incapaz de se mover.

Pouco depois da meia-noite, várias explosões também ocorreram na área da ponte Kerch, e houve relatos de um ataque de aparelhos marítimos e aéreos não tripulados.

Os residentes locais indicaram que ouviram uma forte explosão na área de Yakovenko.

Esta semana, as autoridades russas deram conta de várias tentativas de ataques a navios civis e navais na zona do Mar Negro, onde os ataques aumentaram desde que a Rússia decidiu retirar-se do acordo ucraniano de exportação de cereais, em 17 de julho, acusando a Ucrânia de incumprir a sua parte do plano.

Tanto Kyiv como Moscou anunciaram, após a ruptura do acordo, alcançado pela primeira vez em julho de 2022, que todos os navios que navegam nas águas do Mar Negro serão considerados transportes de carga militar.

 VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo