terça-feira, 23 de março de 2021

Professor acusa UFPE de censurar vídeo que cita Bolsonaro e entrega o cargo

 

O professor elaborou um vídeo no qual citava uma notícia sobre Bolsonaro ser contra o lockdown

© shutterstock

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O professor da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) Marco Mondaini acusa a reitoria da instituição de censurar um vídeo que fazia referência ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e à Covid-19 produzido pela coordenação de jornalismo da universidade.


"Não há dúvida de que houve censura", afirma Mondaini –o episódio fez com que ele entregasse o seu cargo de diretor do NTVRU (Núcleo de TVs e Rádios Universitárias) da UFPE.

Na sexta-feira (19), a coordenação de jornalismo da instituição lançou um vídeo solicitado pelo NTVRU defendendo a importância do isolamento social como forma de prevenção à Covid-19. O material consiste em uma sequência de notícias sobre o avanço do novo coronavírus no Brasil.

Em uma delas, lê-se: "Bolsonaro diz que lockdown 'não dá certo' e volta a criticar governadores".

"Era uma manchete, não havia nenhum ataque ao presidente, nenhuma adjetivação", defende Mondaini. Segundo o professor, naquele mesmo dia ele compartilhou o conteúdo em um grupo de WhatsApp com membros da gestão da UFPE.

"Quando eram 19h30, tocou o meu telefone. Era a superintendente de comunicação dizendo que o reitor havia solicitado a retirada da referência ao Bolsonaro", conta ele. "Eu imediatamente disse que não concordava, que não faria isso. Que sairia em defesa dela e pela manutenção do vídeo do jeito que ele se encontrava. Ato contínuo, coloquei o meu cargo à disposição."

"Menos de uma hora depois, ela me ligou comunicando que o reitor havia aceitado o cargo."

Ainda de acordo com Mondaini, foi convocada uma reunião para esta segunda (22) entre ele e o reitor, Alfredo Macedo Gomes, que "durou três minutos". "Ele me agradeceu os serviços prestados e pronto, terminou o encontro", diz o professor.

A UFPE publicou uma nota no mesmo dia afirmando "causou estranhamento a posição do ex-diretor do Núcleo de TV e Rádios Universitárias de colocar o cargo à disposição sem procurar dialogar".

"A gestão da UFPE sempre respeitou e trabalhou para o fortalecimento da autonomia do Núcleo, o que é atestado na forma democrática de construção da minuta de seu Regimento Interno, que será apreciada em breve pelo Conselho de Administração", afirma a entidade no comunicado, que não cita explicitamente se houve ou não veto à referência ao presidente da República.

"A orientação da comunicação institucional que projetamos deve refletir o espírito de resistência dialógica e republicana, fundamentada em leitura mais ampla da quadra histórica que estamos vivendo. Neste sentido, a UFPE trabalha para fortalecer a Comunicação Pública e o protagonismo e a representatividade da sociedade civil neste processo", segue o texto.

"A UFPE reafirma o respeito e a proteção à liberdade de cátedra e de imprensa e à pluralidade de ideias, garantias irrenunciáveis do Estado de Direito. A gestão agradece o trabalho desenvolvido pelo professor Marco Mondaini, reiterando o respeito por todas e todos que fazem o NTVRU."

Mondiane chama o posicionamento da universidade de "covarde". "O assunto de censura não está presente em nenhum momento daquela nota. Eles procuram me responsabilizar pelo ato de censura, dizer que não fui aberto ao diálogo, que me neguei a dialogar, que e a crise teria se aberto por isso".

"Não existe censura soft ou censura hard. Isso representa claramente um ato de censura", alega Mondiani. "Não há diálogo quando o assunto é censura. O que já está acontecendo na sociedade brasileira também está acontecendo dentro das universidades."

Após o envio da nota, a reportagem questionou a universidade se houve pedido para retirada de trecho do vídeo com menção ao presidente. A UFPE respondeu que "foi solicitada a retirada da menção ao nome de qualquer político em um vídeo institucional, por considerar que essa personalização não é salutar e não reflete o espírito de resistência dialógica e republicana de uma instituição pública".

"Acreditamos que o recado em favor do isolamento social pode, precisa ser e tem sido dado pela UFPE de forma institucional, diariamente. Constantemente, a UFPE se posiciona contra a condução do enfrentamento à pandemia sem precisar citar nomes, como nesta nota divulgada na semana passada, quando mais uma vez foi defendido o isolamento social e o uso de máscaras e criticado o tratamento precoce contra a Covid-19."

Leia abaixo a íntegra da primeira nota divulgada pela UFPE sobre o assunto:

"Nota da UFPE sobre o NTVRU

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ao longo de toda a pandemia, tem se posicionado abertamente em defesa da vida, da ciência, do isolamento social e do uso de máscaras, como é notório pelas medidas adotadas institucionalmente e como foi reforçado na nota divulgada no dia 18/03/2021 (clique aqui).

No contexto de radicalização da sociedade e de negação da ciência, a UFPE tem também se posicionado de forma inequívoca em defesa de políticas públicas e pautas sociais que fortaleçam a Universidade Pública; tem lutado contra os cortes orçamentários; contra os vetos ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT); defendido a autonomia universitária e o respeito à decisão da comunidade na escolha do/a reitor/a eleito/a; defendido a continuidade das cotas e respeito ao meio ambiente; criticado a falta de coordenação nacional no enfrentamento da pandemia, dentre outras pautas importantes e urgentes.

O episódio em tela faz referência a vídeo institucional que faz parte da campanha mais ampla que a UFPE vem promovendo para elevar o compromisso e a conscientização de toda sociedade no enfrentamento da covid-19. O objetivo é falar para todas as pessoas, superar a gramática da polarização, visando a sensibilização da sociedade neste momento de tentativa de desqualificação das instituições da república.

Por realizar uma gestão democrática, com capacidade dialógica e construção participativa da universidade pública, inclusiva, plural, diversa e laica, causou estranhamento a posição do ex-diretor do Núcleo de TV e Rádios Universitárias (NTVRU) de colocar o cargo à disposição sem procurar dialogar. A gestão da UFPE sempre respeitou e trabalhou para o fortalecimento da autonomia do Núcleo, o que é atestado na forma democrática de construção da minuta de seu Regimento Interno, que será apreciada em breve pelo Conselho de Administração.

A orientação da comunicação institucional que projetamos deve refletir o espírito de resistência dialógica e republicana, fundamentada em leitura mais ampla da quadra histórica que estamos vivendo. Neste sentido, a UFPE trabalha para fortalecer a Comunicação Pública e o protagonismo e a representatividade da sociedade civil neste processo.

A UFPE reafirma o respeito e a proteção à liberdade de cátedra e de imprensa e à pluralidade de ideias, garantias irrenunciáveis do Estado de Direito. A gestão agradece o trabalho desenvolvido pelo professor Marco Mondaini, reiterando o respeito por todas e todos que fazem o NTVRU."

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo