segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Homem é preso por tentativa de homicídio após confusão com advogado de Bolsonaro

Frederick Wassef foi acusado de assédio sexual por um seguidor de Bolsonaro e sofreu ameaça

 

© iStock

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Um homem foi preso em flagrante em Brasília por tentativa de homicídio, ameaça, porte de arma branca e direção perigosa de veículo em via pública após confusão envolvendo Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O tumulto aconteceu em um restaurante no Lago Sul. O homem foi solto neste domingo (22) após audiência de custódia.

Segundo informações da polícia, vídeos e relatos de testemunhas apontam que o homem tentou agredir o advogado com uma faca após acusá-lo de assédio à sua mulher.

A mulher, porém, afirmou que houve um "mal-entendido", de acordo com a polícia. Vídeos divulgados pelo site Metrópoles, e gravados por pessoas no local, mostram o momento em que o homem segura uma faca e afirma: "Safado, sem vergonha, atacando mulher no banheiro".

Wassef nega que tenha ocorrido assédio e diz que o caso começou após ter sido alvo de ofensas pela mulher por defender Bolsonaro. O advogado também afirma que imagens de câmeras de segurança provam que ele não esteve perto da mulher quando ela estava no banheiro.

De acordo com o delegado Sérgio Bautzer, da Central de Flagrantes da 1ª DP (Delegacia de Polícia) da Asa Sul, as imagens foram analisadas e não apontam aproximação no banheiro, mas o áudio do momento em que a mulher passa perto de Wassef, que aparenta falar ao telefone, não está disponível.

Uma nova testemunha deve ser ouvida nos próximos 30 dias.

Segundo os relatos colhidos no caso, o casal, que estava com a filha, chegou a deixar o local, mas o homem voltou depois.

Além de tentar atacar Wassef, o suspeito ameaçou um casal que estava na mesma mesa que o advogado, afirma o delegado Sérgio Bautzer.

O episódio ocorreu entre 17h40 e 18h20, de acordo com dados do boletim de ocorrência. Uma equipe da Polícia Militar foi acionada "para averiguar ocorrência de ameaça" e encontrou o homem já dentro do carro.

"Durante revista no veículo do autor, foram encontradas duas armas de corte e perfuração. Diante dos fatos, conduziram todos à delegacia para as providências cabíveis", disse a Polícia Civil, em nota.

A Folha não conseguiu contato com o suspeito para falar sobre o caso.

Após audiência de custódia na manhã deste domingo, o homem recebeu liberdade provisória, segundo registros do caso no TJ-DF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal). Nos autos, consta que o homem foi acompanhado pela Defensoria Pública -o nome do defensor não foi informado

Em depoimento à polícia, o homem diz ter ido cumprimentar Wassef quando saía do restaurante por ser simpatizante de Bolsonaro. Pouco depois, a mulher estacionou o carro ao lado e disse ao marido para irem embora.

Mais tarde, porém, ele disse ter ouvido da mulher que o advogado estava "falando besteiras na saída do banheiro" e ter entendido que houve assédio, o que fez com que ele voltasse ao restaurante.

Wassef nega que tenha a assediado e afirma ter sido alvo de ofensas ainda no restaurante pela mulher, que teria manifestado oposição às ideias de Bolsonaro.

Ele disse à Folha que a questionou do porquê dos supostos ataques. "E ela: 'Não quero falar com você'. A filha também gritou e disse que não queria falar comigo", relatou o advogado.

Segundo ele, o homem que acompanhava a mulher primeiro teve postura diferente, no começo da confusão, chegando a pedir desculpas. Mais tarde, porém, voltou ao local e tentou agredi-lo, afirma.

Ele disse que fugiu do local enquanto o homem era segurado por clientes do restaurante.

Em depoimento, de acordo com a polícia, a mulher disse que houve um mal-entendido, afirmando que se referia à política quando citou ao marido que o advogado falava "besteiras". Ela não citou ofensas ou discussão com Wassef.

De acordo com o delegado, a mulher foi ouvida em protocolo especial para casos de suspeita de violência contra a mulher, mas não citou assédio.

Segundo Bautzer, após Wassef deixar o local, o suspeito também tentou agredir as outras pessoas que estavam na mesa, mas foi contido. Wassef não foi atingido, mas bateu a perna ao deixar o local.

O advogado é um dos mais próximos aliados da família Bolsonaro.

Apontado como operador do esquema ilícito no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia, o policial militar aposentado Fabrício Queiroz foi preso pela em um imóvel de Wassef em junho de 2020.

A prisão de Queiroz chegou a fazer Wassef submergir e se afastar da família Bolsonaro, mas o criminalista voltou a circular pelo Palácio do Planalto meses mais tarde.

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo