sábado, 9 de outubro de 2021

China e EUA realizam reunião para tratar de questões comerciais

Ambos os lados "conduziram intercâmbios pragmáticos, francos e construtivos", de acordo com o comunicado

© Google

China e Estados Unidos tiveram uma reunião virtual neste sábado (9) sobre a relação comercial dos dois países, após uma longa pausa nas negociações. O principal negociador comercial da China, Liu He, ligou para a Representante de Comércio dos EUA, Katherine Tai, para discutir o acordo comercial de "Fase 1", negociado sob a administração de Donald Trump, juntamente com outras grandes preocupações econômicas, de acordo com um comunicado do Ministério do Comércio da China.

Ambos os lados "conduziram intercâmbios pragmáticos, francos e construtivos", de acordo com o comunicado. Tai havia dito esta semana que planejava conversas francas com autoridades em Pequim sobre um acordo comercial provisório com o objetivo de resolver a guerra tarifária.

Liu, um vice-primeiro-ministro e membro do Politburo do Partido Comunista, também pressionou pelo cancelamento de tarifas e sanções adicionais cobradas pelos EUA sobre produtos chineses.

O acordo comercial da "Fase 1" coloca em pausa uma guerra comercial decretada pelo ex-presidente Trump, que aumentou as tarifas sobre as importações chinesas devido a reclamações sobre a política industrial e o superávit comercial de Pequim.

A China retaliou suspendendo as compras de soja nos EUA e aumentando as tarifas sobre outras mercadorias.

Sob o presidente Joe Biden, o governo manteve as tarifas mais altas e outras políticas que geraram reclamações de Pequim, mas buscou um tom mais cordial nas discussões bilaterais.

Liu também explicou a posição do país em seu atual modelo de desenvolvimento econômico e políticas industriais.

A economia da China se recuperou com relativa rapidez após a pandemia global, mas enfrentou ventos contrários com grandes dívidas corporativas e governamentais locais, bem como restrições às exportações de alta tecnologia, especialmente aquelas promulgadas pelos EUA. Fonte: Associated Press.

Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo