segunda-feira, 25 de maio de 2020

Itália vai recrutar 60 mil voluntários para controlar aglomerações

A pandemia associada à covid-19 já fez quase 33.000 mortos na Itália, um dos países mais atingidos

© DR

A Itália vai começar nesta semana a recrutar 60.000 voluntários para controlarem o cumprimento das regras de segurança na "fase dois" de desconfinamento, em que se registraram aglomerações de dezenas de pessoas sem máscaras nem distância social.


Esses "assistentes cívicos", recrutados entre desempregados e beneficiários do rendimento mínimo, vão ter como missão dar informação sobre as regras nas situação em que a distância física não esteja sendo respeitada, segundo nota do Ministério dos Assuntos Regionais.
No fim de semana, suscitaram indignação na Itália imagens de aglomerações, designadamente em Roma e em Nápoles, sobretudo de jovens, sem qualquer respeito pelas regras definidas para evitar a propagação do novo coronavírus.
Responsáveis políticos locais e regionais pediram responsabilidade aos cidadãos e alertaram para um possível novo surto, naquele que é um dos países do mundo mais afetado pela pandemia associada à covid-19.
Em Perugia (centro), as autoridades locais ordenaram no sábado o encerramento dos estabelecimentos do centro histórico à noite e em Rimini (norte) foi anunciada medida semelhante se voltarem a registrar-se aglomerações deste tipo.
O ministro dos Assuntos Regionais, Francesco Boccia, precisou numa entrevista hoje publicada pelo jornal La Stampa que os voluntários usarão um distintivo da Proteção Civil e começarão a trabalhar em meados de julho e até ao final do verão.
"Nesta nova fase, eles vão facilitar o controle do acesso aos parques e mercados, contando o número de pessoas que entram e saem, e explicar as regras de acesso às praias quando elas reabrirem", disse.
Para poder atuar, os "assistentes cívicos" usarão "a força de persuasão da razão e do sorriso", disse o ministro, adiantando que se se depararem com reações violentas deverão chamar a polícia municipal.
Além destas ações, os voluntários colaborarão com as autoridades locais na assistência aos mais vulneráveis, como levar compras a casa de idosos ou doentes.
A pandemia associada à covid-19 já fez quase 33.000 mortos na Itália, um dos países mais atingidos.

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo