terça-feira, 5 de outubro de 2021

Amor à primeira vista? A realidade (pouco romântica) que ninguém fala

Especialistas decidiram analisar a teoria...

© Shutterstock

Teria sido amor à primeira vista? Se é um romântico incurável, alertamos para o fato de que a conclusão deste artigo poderá não ser do seu total agrado. Mas, não desanime.

Um conjunto de especialistas jogou por terra a teoria do amor à primeira vista. As descobertas sugerem que aquilo que alguns de nós interpretam como amor à primeira vista é, na realidade, uma atração inicial, puramente sexual,  como explica uma professora da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, citada pela revista britânica Stylist. Ou seja, da sensação de 'borboletas no estômago' pensando que é amor há uma grande distância. 

Então, afinal, o que nos leva a sentir atração por uma pessoa e não por outra? A explicação é simples (e química): o aspecto físico, a voz e até o cheiro. 

Apesar desta conclusão pouco romântica, há dicas (algumas curiosas) que, segundo a psicóloga Audrey Tang, pode e deve colocar em prática para que uma relação evolua favoravelmente após a fase inicial de atração. Veja abaixo:

1. Faça 53 perguntas

Existem perguntas - 53, para sermos mais exatos - que devemos fazer a um potencial parceiro. "Embora seja compreensível que algumas pessoas não queiram ter consigo um conjunto de perguntas a fazer no seu primeiro encontro, há estudos que comprovam que há quem considere essas perguntas mais agradáveis do que conversas superficiais", diz.

2. Conheça a sua linguagem do amor

Isto é: pense em como gosta de dar e receber amor. É através do toque? Da intimidade? Do tempo de qualidade? Das palavras? Presentes? Isso irá evitar mal-entendidos no futuro e poupar-lhe muitas chatices.

3. Seja claro na comunicação

As relação exigem paciência, compreensão e cedências  de parte a parte, pelo que a comunicação assume um papel crucial.  

Via...Notícias ao Minuto 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo