quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Catalepsia: casos sinistros de pessoas que foram enterradas vivas

 

Saiba mais sobre distúrbio que faz pessoas parecerem mortas!

Catalepsia: casos sinistros de pessoas que foram enterradas vivas - A morte é algo que mexe muito com a gente. Mas imagine estar sofrendo a perda de alguém que você ama e, de repente, descobrir que a pessoa está viva? Pode parecer até um milagre, mas há uma explicação científica. Existe um distúrbio raro chamado catalepsia, que faz com que as vítimas entrem em um sono profundo que se confunde com a morte. Há inclusive histórias de pessoas que, supostamente, teriam sido enterradas vivas. Dá para acreditar? Não? Então clique e confira na galeria!


Um distúrbio que faz com que as pessoas adormeçam a ponto de parecer que estão mortas: assim é a catalepsia. Essa condição rara originou histórias, que são contadas há muitos anos, de supostas vítimas que teriam sido enterradas vivas por engano. Conheça alguns casos clicando na nossa galeria. É de arrepiar!

O distúrbio - A Catalepsia é um distúrbio raro que faz com que uma pessoa fique totalmente imobilizada e desacordada.

© Shutterstock


Paralisia - Alguém que esteja passando por esse surto, fica parecendo uma estátua de cera.

© Shutterstock


Caso da bailarina - sepultamento - A jovem de apenas 23 anos foi declarada morta, vítima de infarto no miocárdio, e enterrada.

© Shutterstock


Caso da bailarina - pressentimento - Ainda segundo a publicação, dias depois, uma amiga havia tido um pressentimento de que Niurka estava viva. A mãe da bailarina teria conseguido autorização para exumar o corpo da filha.

© Shutterstock


Caso da bailarina - esperança - Um revelação surpreendente: a bailarina estava mesmo morta, mas não por infarto no miocárdio. Ela teria falecido por asfixia dentro do caixão, o que sugere a possibilidade da jovem ter mesmo sido enterrada viva.

© Shutterstock



Via...Notícias ao Minuto  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo