terça-feira, 7 de setembro de 2021

Em Brasília, apoiadores de Bolsonaro pedem 'tribunal militar' para membros do STF

 

Bolsonaristas pedem a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal, o arquivamento do chamado "inquérito das Fake News", em curso no STF, a "criminalização do comunismo" e a intervenção das Forças Armadas

© Divulgação / STF

s manifestantes pró-governo reunidos na Esplanada dos Ministérios na manhã desta segunda-feira, 7, em Brasília, ostentam faixas e entoam gritos de guerra com pedidos antidemocráticos. Na lista estão a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal, o arquivamento do chamado "inquérito das Fake News", em curso no STF, a "criminalização do comunismo" e a intervenção das Forças Armadas.

Nos últimos dias, Bolsonaro e seus apoiadores vinham divulgando os protestos de 7 de Setembro como manifestações à favor da liberdade de expressão - o tema, no entanto, está praticamente ausente nas faixas dos apoiadores de Bolsonaro, que também estão prometendo tentar invadir o prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta terça, e querendo um 'tribunal militar' para membros do Supremo.

"O Brasil pede socorro!!! Queremos Tribunal Militar para Ministros do STF e (membros) do Congresso, Criminosos e todos os mergulhados em corrupção…", diz uma das faixas. "Só sairemos de Brasília quando nossa pauta for atendida". "Destituição de todos os ministros do STF", diz outro cartaz.

O pedido contradiz falas do próprio Bolsonaro, que disse no último domingo, dia 5, que os protestos eram apenas contra um ministro do STF, referindo-se a Alexandre de Moraes.

Mais cedo, em frente ao Palácio do Itamaraty, prédio mais próximo da sede do STF, um grupo de manifestantes insuflava a multidão para avançar contra a barricada da Tropa de Choque da Polícia Militar do DF e chegar à Suprema Corte.

"Vamos aguardar até 10h. Depois que o presidente falar, vamos entrar", disse um manifestante com um megafone. "É tudo ou nada, e quem ficar na frente do povo vamos passar por cima", diz o manifestante em frente aos caminhões.

Na madrugada, a polícia precisou dispersar alguns manifestantes usando spray de pimenta.

Uma fila de caminhões está parada antes do cordão da Polícia Militar do Distrito Federal. Alguns manifestantes tentavam convencer caminhoneiros a avançar contra a barreira policial, e assim abrir espaço para os demais apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo