sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Dilma faz defesa pessoal e é interrompida por Gleisi em reunião do PT

Reunião do diretório do partido aconteceu a portas fechadas, nesta sexta-feira (30)

© DR
O estilo não mudou em nada. Dilma Rousseff falava sem intervalos -e pistas de que terminaria em breve- quando foi interrompida por Gleisi Hoffmann durante reunião do Diretório Nacional do PT, em Brasília.




A presidente do PT avisava a ex-chefe do Planalto que eram só 20 minutos de fala por pessoa, mas Dilma retrucou com o olhar fuzilante. "Vou continuar defendendo meu governo", disse a ex-presidente, segundo relatos feitos à reportagem. A plateia riu constrangida e Dilma seguiu a cantilena, sem fazer autocrítica.
Durante reunião a portas fechadas, nesta sexta-feira (30), a petista extrapolou seu tempo de discurso -de quase meia hora- para fazer uma defesa pessoal de seu mandato e evitar que o documento final divulgado pela sigla contenha críticas mais duras a seu governo.
Texto preliminar elaborado por uma comissão de nove petistas -egressos de diferentes tendências da legenda- colocava a condução da política econômica de Dilma a partir de 2015 como um dos principais erros do partido.
"A guinada neoliberal dada em 2015, na política econômica, pesou mais que os nossos grandes acertos, contribuindo para a derrubada do governo Dilma Rousseff em 2016. E nas eleições de 2018, ao invés de culpar as forças neoliberais que desestabilizaram e depois derrubaram nosso governo, uma parte do povo -vítima da recessão e da mídia golpista- aceitou a narrativa segundo a qual a culpa recaía sobre o PT", dizia o documento inicial.
Divergências entre os principais dirigentes petistas, porém, fizeram com que o texto fosse substituído por outro, mais enxuto e ameno.
Segundo Gleisi, a comissão produziu um documento "com vários temas" e "longo demais". 
"Queremos um texto que se situe mais na avaliação do processo eleitoral e nas características do governo Jair Bolsonaro e na nossa posição, no que vamos fazer. Não queremos um texto que analise os governos anteriores", afirmou a dirigente petista aos jornalistas antes do fim da reunião.
No púlpito, Dilma fez uma fala defensiva, citou realizações de seu governo e disse que não teve problemas fiscais, mas foi vítima de um "golpe" que culminou no seu impeachment.
Sobre as desonerações, reconhecidas por diversos petistas como uma política econômica que não deu certo, a ex-presidente ponderou que os empresários não responderam com a criação de empregos e, para ela, aí estava o problema.
Entre os correligionários, Dilma parecia pouco enturmada, circulando durante o dia acompanhada de um único segurança -os ex-presidentes da República têm direito- e com sua ex-ministra de Política para Mulheres Eleonora Menicucci. Com informações da Folhapress.

Via...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo