terça-feira, 10 de novembro de 2020

PSDB diz que Bolsonaro 'comemora' morte de voluntário e critica 'guerra política'

Bolsonaro "comemorou" a suposta morte de um voluntário da vacina Coronavac

© null

O PSDB criticou o presidente Jair Bolsonaro por uma declaração feita após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspender os testes da vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan de São Paulo, em parceria com o laboratório chinês Sinovac contra a covid-19. Em nota publicada nas redes sociais, o partido do governador de São Paulo, João Doria, afirmou que Bolsonaro "comemorou" a morte de um voluntário da vacina.


Mais cedo, Bolsonaro afirmou que a vacina Coronavac causa "morte, invalidez e anomalia" e que "ganhou" mais uma disputa contra Doria. "Morte, invalidez, anomalia. Esta é a vacina que o Doria queria obrigar a todos os paulistanos tomá-la. O presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha", gabou-se o mandatário.

"O presidente Bolsonaro comemorou a morte de um voluntário da Coronavac. Que segundo consta faleceu por razões que não tinham a ver com a vacina, de acordo com o diretor do Instituto Butantã, Dimas Covas", diz a nota do PSDB. Em coletiva de imprensa, Dimas Covas afirmou que a morte foi reportada por atropelamento e que não há relação com os testes da vacina.

O partido afirmou que a declaração do presidente da República "é mais uma prova de que coloca suas pretensões políticas acima de todos e realmente não se importa com a vida dos brasileiros." Bolsonaro e Doria são dois possíveis concorrentes na disputa presidencial de 2020. "Cada vez mais ele (Bolsonaro) parece estar do lado do vírus", afirmou o PSDB.

"A corrida pela vacina não é uma guerra política e não pode ser tratada dessa forma. A vacina - seja ela qual for - é para proteger os brasileiros desse vírus que já levou a vida de mais de 160 mil pessoas", diz a nota do partido. O País registrou até segunda-feira, 9, pelo menos 162.638 mortes pela covid-19 desde o início da pandemia.

O PSDB replicou ainda uma declaração do governador paulista afirmando que o governo federal prometeu repasses a São Paulo para produção da vacina pelo Instituto Butantan, mas que até agora não havia liberado o repasse financeiro.

Além disso, a legenda disse que o governo federal "ignorou" a proposta de compra da vacina da Pfizer, imunizante que apresentou eficácia de mais de 90% em proteger as pessoas contra o coronavírus na comparação com um placebo. Na segunda-feira, o Ministério da Saúde afirmou em nota que "todas as vacinas em estudos avançados no mundo estão sendo analisadas, inclusive a do laboratório Pfizer".

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo