terça-feira, 9 de novembro de 2021

PF investiga 17 advogados e 8 servidores do INSS por fraudes em benefícios rurais

Até o momento, 34 pessoas foram presas no âmbito da ofensiva

© Shutterstock

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 9, a Operação Bússola contra suposta organização criminosa que frauda benefícios de aposentadoria por idade rural, mediante a falsificação e o uso de documentos públicos, no Piauí. Até o momento, 34 pessoas foram presas no âmbito da ofensiva.

Um efetivo de 200 agentes cumpre, ao todo, 16 mandados de prisão preventiva, 23 de prisão temporária e 57 de busca e apreensão. Entre os investigados com prisão decretada estão oito servidores do INSS, 17 advogados e 14 intermediários dos Estados do Piauí e Maranhão, diz a PF.

As diligências são executadas nas cidades de Teresina, Luzilândia, Demerval Lobão e Santo Antônio dos Milagres (PI); Timon, Caxias, Presidente Dutra, Parnarama, Codó, Anapurus e São João do Sóter (MA). As ordens foram expedidas pelo juízo da 1ª Vara Federal de Teresina, que ainda determinou o bloqueio das contas dos presos e a suspensão do exercício da função pública para os servidores do INSS.

A Justiça Federal também determinou a imediata suspensão de 160 benefícios concedidos a 'pessoas fictícias' e a imediata revisão de 1.975 benefícios com indícios de fraude. Tal medida vai evitar um prejuízo futuro estimado em R$ 623 milhões, diz a PF.

De acordo com a corporação, a investigação que culminou na operação Bússola teve início em 2020 e foi desenvolvida no âmbito da Força Tarefa Previdenciária e Trabalhista no Piauí, integrada pela PF e pela Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista da Secretaria Executiva do Ministério do Trabalho e Previdência (CGINT/MTP).

Os investigadores dizem que já identificaram 1.975 benefícios de aposentadoria por idade rural com indícios de fraude, os quais teriam causado um prejuízo ao INSS de cerca de R$ 55,8 milhões, em valores já sacados.

O nome da operação, Bússola, faz referência 'ao direcionamento indevido dos requerimentos de benefícios protocolados pelos advogados/intermediários aos servidores concessores do grupo criminoso', afirma a PF.

Via...Notícias ao Minuto   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo