quinta-feira, 16 de setembro de 2021

Quadros graves de Covid-19 são causados por ataque de autoanticorpos

A nova pesquisa foi publicada na revista científica Nature Communications

 

© Shutterstock


Um estudo realizado nos Estados Unidos, detectou a presença de anticorpos associados a patologias autoimunes no sangue de doentes hospitalizados infectados pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, por trás da Covid-19. 

Uma nova pesquisa, publicada na revista científica Nature Communications e citada pela revista Galileu, sugere que autoanticorpos são responsáveis pelos quadros de Covid-19 grave. Os autoanticorpos são os anticorpos produzidos pelo sistema imunológico contra células do próprio corpo humano, provocando assim várias doenças autoimunes. 

Investigadores da Universidade de Stanford analisaram amostras de sangue de 195 indivíduos nos Estados Unidos, infectados com o SARS-CoV-2 e que necessitaram de internamento hospitalar em 2020. Sendo que coletas feitas antes da pandemia foram utilizadas como controle.

A experiência considerou três fatores, como os índices de autoanticorpos, a quantidade de anticorpos contra o novo coronavírus e o nível de anticorpos direcionados contra citocinas (proteínas que são expelidas pelas células imunes). 

De acordo com a revista Galileu, os autoanticorpos foram detectados em aproximadamente 50% das amostras de doentes com Covid-19 e em somente 15% dos restantes indivíduos. Entretanto, uma semana após receberem alta, os autoanticorpos ainda permaneciam em cerca de 20% das amostras de sangue.

"Em muitos casos, esses níveis de autoanticorpos eram semelhantes aos que veria numa doença autoimune diagnosticada", disse num comunicado o líder do estudo Paul Utz, professor de imunologia e reumatologia na faculdade de medicina da Universidade Stanford.

Os investigadores referiram ainda que 60% das pessoas com Covid-19 hospitalizadas tinham anticorpos anticitocinas, enquanto apenas 15% dos indivíduos saudáveis detinham essas substâncias. O que pode ser um indicador de uma sobrecarga do sistema imunológico característica de uma infeção severa do SARS-CoV-2. 

"A abundância de citocinas pode desencadear a produção errônea de anticorpos direcionados às mesmas", partilhou Utz. 

Nesses casos, diz a revista Galileu, os anticorpos anticitocinas podem estar a contribuir para suprimir as células imunes, fornecendo mais tempo ao vírus para se replicar e disseminar pelo corpo - descoberta essa que reforça o papel da vacinação, que reduz significativamente o risco do sistema de defesa gerar autoanticorpos. 

"Se não foi vacinado e está dizer a si mesmo: 'A maioria das pessoas que apanham Covid supera a doença e está bem', recorde-se que é impossível saber com antecedência se o seu caso seria leve", salienta o professor.

Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo