sábado, 30 de novembro de 2019

Dólar recua ante rivais, com liquidez fraca e impasse sobre Hong Kong

O mercado internacional ainda opera com cautela devido às tensões entre Washington e Pequim

@ iStock (Foto ilustrativa) 
O dólar recuou ante a maioria das moedas rivais nesta sexta-feira, mas avançou sobre o franco suíço, em um quadro de liquidez reduzida com o pregão abreviado de hoje, um dia após o feriado do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, e com o impasse entre americanos e chineses sobre a situação em Hong Kong no radar.
Próximo ao horário de fechamento das bolsas de Nova York, o dólar recuava a 109,46 ienes e avançava a 1,0004 franco suíço. O euro, por sua vez, subia a US$ 1,1023 e a libra, a US$ 1,2939.
O mercado internacional ainda opera com cautela devido às tensões entre Washington e Pequim sobre a situação em Hong Kong, após o presidente americano, Donald Trump, ter sancionado na quarta-feira uma lei em apoio aos manifestantes pró-democracia, que protestam há meses no território semiautônomo. A China ameaçou retaliar os americanos, mas não anunciou nenhuma medida concreta.
Na avaliação de George Vessey, estrategista de câmbio do Western Union, "a menor liquidez no mercado de câmbio, combinada com uma série de dados importantes e possíveis acontecimentos políticos, aumenta o risco de grandes e irregulares oscilações de preço".
Em relação aos indicadores, hoje foi divulgado, por exemplo, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro, que cresceu 1,0% em novembro na comparação anual, acima da previsão de analistas. Já a confiança do consumidor do Reino Unido se manteve em -14 neste mês, menor patamar desde 2013.
A libra, no entanto, subiu, impulsionada por pesquisas de opinião que mostram ampla vantagem do Partido Conservador, do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na eleição geral de 14 de dezembro. "A libra se consolidou em níveis altos desde outubro, em grande parte devido à antecipação da vitória dos Tories e de um avanço no Brexit", analisa Vessey.
Já o peso chileno teve um dia de recuperação ante o dólar, após o Banco Central do Chile (BCCh) ter anunciado ontem uma intervenção cambial de até US$ 20 bilhões, de 2 de dezembro a 20 de maio de 2020. Há pouco, o dólar recuava a 804,50 pesos chilenos. A divisa do país sul-americano atingiu mínimas históricas ante a moeda americana nesta semana, em meio a protestos que exigem reformas sociais e uma nova Constituição. 
Ante outras divisas emergentes, o dólar avançava a 19,5884 pesos mexicanos, mas recuava a 59,8613 pesos argentinos e a 14,6709 rands sul-africanos, no fim da tarde em Nova York.
VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo