terça-feira, 19 de julho de 2022

Ala do MDB declara apoio a Lula e pressiona por desistência de Tebet

 

Parlamentares da legenda se encontraram com o ex-presidente de declaram apoio a ele

© Getty


SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Uma ala do MDB se reuniu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (18), para oficializar o apoio de emedebistas à candidatura do petista à Presidência já no primeiro turno.

Com o movimento, Lula e o grupo do MDB que o apoia buscam jogar ainda mais pressão sobre Simone Tebet (MDB-MS)
Na abertura da reunião, o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), afirmou que a decisão foi tomada por 11 estados, dos quais 9 tinham representantes na reunião.

Ficou acertado que os emedebistas vão chamar o presidente do MDB, Baleia Rossi, para uma reunião ainda nesta semana pedindo que o partido declare apoio a Lula ainda no primeiro turno e rife a candidatura da senadora Simone Tebet à Presidência da República. O ex-presidente Michel Temer (MDB) também será procurado.

A convenção nacional do MDB que oficializaria o nome da senadora na disputa pelo Palácio do Planalto será no próximo dia 27.

Braga diz esperar ampliar o número de estados que apoiam a candidatura de Lula e que há tempo para isso até a convenção.

"Entendemos que o primeiro turno é um grande desafio para respondermos aos ataques contra a democracia", seguiu.

"Com relação à convenção, queremos conversar até o dia dela para poder ter uma posição. Podemos votar contra, não participar, tem várias alternativas. Agora essa decisão só será tomada depois dessa semana de diálogo que queremos com o MDB", afirmou.

Segundo participantes do encontro, Lula citou o encontro de Bolsonaro com embaixadores nesta segunda como um sinal de que o presidente tentará impedir a realização das eleições.

Ainda segundo presentes, Lula disse que essa estratégia de Bolsonaro deverá ser acirrada caso a disputa chegue ao segundo turno. Daí, a importância de se vencer já no primeiro turno -meta para qual o apoio do MDB seria fundamental.

A presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o gesto do MDB é "muito importante", que o atual processo eleitoral "é muito diferente de todos os outros" e que o momento exige unidade.

Gleisi disse que o apoio de representantes do MDB não traz "demérito algum" à senadora Simone Tebet, pré-candidata à Presidência da República da legenda.

"Queremos conversar com outros companheiros do MDB e queremos inclusive conversar com a senadora Simone Tebet. Acho que ela tem um compromisso também com o processo democrático brasileiro", disse.

Participaram do encontro emedebistas de nove estados: os senadores Renan Calheiros (AL), Rose de Freitas (ES), Veneziano Vital do Rego (PB), Marcelo Castro (PI) e Eduardo Braga (AM), o ex-governador Renan Filho, os ex-senadores Edison Lobão (MA) e Eunício de Oliveira (CE), o ex-deputado Lucio Vieira Lima (BA) e o presidente do diretório estadual do Rio de Janeiro, Leonardo Picciani.

Eunício afirmou aos presentes que está representando ainda a figura do ex-governador do Rio Grande do Norte Garibaldi Alves Filho. E Eduardo Braga afirmou estar representando o Pará. O deputado Isnaldo Bulhões Jr., líder do MDB na Câmara, também compareceu.

Segundo Braga, na semana passada, Lula se reuniu com o governador Helder Barbalho e o senador Jader Barbalho em São Paulo.

Apesar de ter sido o gesto mais contundente de emedebistas em apoio a Lula até agora, a cúpula do MDB ainda rechaça que vá retirar o nome de Tebet.

Na tarde desta segunda, o presidente nacional da legenda, Baleia Rossi (SP), afirmou que a senadora terá apoio nos 27 estados.

"Conversei há pouco com alguns dirigentes do MDB que supostamente estariam com outro candidato a presidente. Eles me garantiram que vão apoiar @simonetebetbr na convenção que vai homologá-la candidata. Decidimos por maioria, respeitando as minorias. Teremos apoios nos 27 estados", escreveu.

Dirigentes do MDB ressaltaram que o encontro desta segunda-feira reflete acertos regionais entre MDB e PT e que reuniu lideranças estaduais, sem significar apoio dos diretórios com o ex-presidente.

Nas contas desses apoiadores da candidatura de Simone Tebet, os 11 estados que tiveram representantes à mesa de Lula não somam 30% de todo o partido. A maior força do MDB está nos estados do Sul, além de Minas Gerais e São Paulo.

VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo