sábado, 9 de julho de 2022

Bolsonaro cita assassinato de Abe para reiterar temor com 'inimigos internos'

O discurso é uma constante em pronunciamentos de Bolsonaro desde a facada que sofreu em 2018

© Getty

Ao comentar o assassinato a tiros do ex-primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe em um ato eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro reiterou seu temor com "inimigos internos" de uma nação. O discurso é uma constante em pronunciamentos de Bolsonaro desde a facada que sofreu em 2018, quando ainda era candidato ao Palácio do Planalto.

"É um risco dos bons, é o preço por lutar pelo seu país. Muitas vezes, na maioria das vezes, o inimigo não está lá fora, está dentro da nossa própria pátria", afirmou o presidente nesta sexta-feira em solenidade militar em Pirassununga (SP).

Mais longevo premiê do Japão, Shinzo Abe foi morto nesta madrugada (pelo horário de Brasília) durante um comício em Nara. Ao ser preso, o atirador confessou o crime e o atribuiu a diferenças políticas.

Mais cedo, Bolsonaro decretou luto oficial de três dias pela morte de Abe. "Homem afável, inteligente, patriota", afirmou o chefe do Executivo na cerimônia, sobre o ex-primeiro-ministro. O presidente pediu aos militares toques de sentido e de silêncio e foi às lágrimas.

No mesmo discurso, Bolsonaro defendeu a preparação de militares para a "possibilidade de agressões" e voltou a falar em interesse internacional pelas riquezas brasileiras. "O que nós não podemos não podemos admitir é que traição venha de gente dentro do país para comungar com essas teses, buscando, ao tirar a nossa liberdade, entregar as nossas riquezas e a nossa gente à outra ideologia", declarou.

"Até o último dia da minha vida ou do meu mandato, farei com que a nossa Constituição seja de fato cumprida", garantiu ainda Bolsonaro.

 VIA...NOTÍCIAS AO MINUTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são pessoais, é não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado, Infonavweb!

Topo